Cão é resgatado por donos de loja e ganha título de "funcionário do mês"

·2 minuto de leitura
Cão é resgatado por donos de loja e ganha título de
Cão é resgatado por donos de loja e ganha título de "funcionário do mês" em Sorocaba (SP)
  • Os donos de uma loja de calçados de Sorocaba (SP) escolheram um cão como "funcionário do mês"

  • O cachorro se escondeu atrás do balcão do estabelecimento há quatro anos e foi adotado pelos proprietários

  • O cãozinho Negão também é garoto-propaganda da loja nas redes sociais e virou sensação entre os clientes

O "funcionário do mês" de uma loja de calçados em Sorocaba (interior de São Paulo) é Negão, um cachorro adotado pelos donos do estabelecimento e que virou sensação entre os clientes. Com direito a um quadro na parede, Negão, também virou garoto-propaganda do comércio nas redes sociais, posando ao lado dos produtos.

"Ele nos escolheu no dia em que entrou embaixo daquele balcão. Desde então, nossos dias são cheios de amor, alegria e afeto. Ele cativa a todos, é amoroso, quer recepcionar os clientes, é a atração da loja", comemorou Alexandre Raszl Peres, proprietário da loja, em entrevista ao portal G1.

Leia também:

O empresário e a mulher, Kelly, conheceram o cãozinho quando ele entrou no estabelecimento e se aconchegou atrás do balcão, há quatro anos. No começo, Negão dormia na loja, em um espaço criado especialmente para ele. Algum tempo depois, Alexandre e Kelly arrumaram um jeito de levá-lo para a casa da família.

"Ele sabe a hora de ir trabalhar e sabe a hora de voltar. É quase como se fosse um funcionário mesmo. Ele late, chama a gente, é demais. Em casa, nossos filhos quase brigam para ver quem vai dormir com o Negão", contou o tutor do cachorro.

Alexandre e Kelly chegaram a anunciar que tinham encontrado um cão desaparecido, mas cancelaram a procura e decidiram adotar Negão.

"Jamais jogaria na rua, jamais. Montei uma caminha, com água e comida dentro da loja. Também fomos até um veterinário e fizemos exames para ter certeza de que ele estava bem", afirmou Alexandre. "Nós tínhamos dois cachorros em casa na época, então não dava para levar mais um. Postamos nas redes sociais, mas ninguém se interessou. Por meses, não houve nenhum contato. E nisso, o Negão foi ficando na loja e nossos corações começaram a se apaixonar por ele", complementou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos