Capitão da Bélgica, Hazard critica protesto da seleção alemã: 'Estamos aqui para jogar futebol'

Atacante e capitão da Bélgica, Eden Hazard criticou o protesto dos atletas da Alemanha antes da partida contra o Japão. Em entrevista à rádio francesa RMC Sport, o atual jogador do Real Madrid afirmou que era melhor o time alemão ter ganho o confronto do que ter feito a ação.

— Sim, mas depois eles perderam a partida. Eles teriam feito melhor em não fazer isso e ganhar. Estamos aqui para jogar futebol, não estou aqui para enviar uma mensagem política, existem pessoas que são melhores colocados para isso. Queremos estar focados no futebol — disse Eden Hazard, à rádio RMC Sport.

Antes da derrota por 2 a 1 na estreia da Copa do Mundo para o Japão, os jogadores da Alemanha posaram para a foto oficial com as mãos tapando a boca em forma de protesto em prol dos direitos humanos. A imagem não foi exibida pela Fifa na transmissão oficial.

Na entrevista, Hazard também despistou sobre ele usar a braçadeira "One Love", um gesto em defesa a causa LGBTQIAP+, que é criminalizada no país sede da Copa. Demonstrações de afeto entre indivíduos do mesmo sexo, por exemplo, não são permitidas em público.

— Não me sinto à vontade para falar sobre isso porque estou aqui para jogar futebol. Não queria começar a partida com um cartão amarelo, teria sido chato pelo resto do torneio. Para fazer de novo, talvez eu adie — completou.

A Bélgica de Eden Hazard venceu o Canadá por 1 a 0, na última quarta-feira, pela primeira rodada do grupo F. Michy Batshuayi foi o autor do gol que colocou a seleção na primeira posição da chave, após o empate por 0 a 0 entre Marrocos e Croácia.