Capitão Tom era nosso mundo, diz filha de britânico "maravilhoso"

·1 minuto de leitura
Capitão Tom Moore, que arrecadou mais de 33 milhões de libras para serviço de saúde do Reino Unido

LONDRES (Reuters) - A filha do capitão Tom Moore, que morreu na semana passada com 100 anos depois de contrair Covid-19, prestou homenagem a ele nesta quarta-feira, retratando-o como um mentor vibrante que espalhou esperança e alegria com seu charme travesso.

Moore sensibilizou o Reino Unido submetido a um lockdown e pessoas de todo o mundo ao percorrer seu jardim com a ajuda de um andador para arrecadar dezenas de milhões de libras para o Serviço Nacional de Saúde.

"Ele era um homem maravilhoso com o maior dos corações", disse sua filha, Hannah, em um comunicado. "Esperamos que o mundo continue a espalhar a esperança, a alegria e o amor que meu pai sentia, e que possamos fazer do amanhã um dia bom uns para os outros".

A família sente falta de seu humor e sua risada, contou ela.

"Ele era nosso mundo. Não ouvir sua risada em casa, captar o brilho travesso em seu olhar, ouvir o arrastar de seu agora famoso andador no corredor".

"Já estamos sentindo falta das rotinas dele, como alimentar os cães com mingau sorrateiramente ou se sentar na cozinha todos os dias para almoçar e nos perguntar como estava o nosso dia".

Sua façanha e sagacidade espalharam alegria em meio às notícias desoladoras do surto de coronavírus, e a mensagem de Moore ao mundo foi que o sol voltará a brilhar e que as nuvens se dissiparão.

Moore faleceu no dia 2 de fevereiro no Hospital Bedford, no centro da Inglaterra. Ele havia sido diagnosticado com Covid-19 em 22 de janeiro e estava enfrentando uma pneumonia.

(Por Guy Faulconbridge)