Capitais registram panelaço e gritos de 'Fica, Mandetta' após informação de que Bolsonaro decidiu demitir ministro

De máscaras, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

SÃO PAULO - Assim que tomou o notociário a informação de que o presidente Jair Bolsonaro avalia demitir o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, uma série de manifestações foram registradas em algumas capitais. Em São Paulo, além do panelaço, muitos pessoas gritavam "Fica, Mandetta".

O persidente estaria avaliando colocar o deputado federal Osmar Terra no lugar de Mandetta. Terra almoçou nesta segunda-feira com Bolsonaro e quatro ministros que despacham do Palácio do Planalto: Walter Braga Netto (Casa Civil), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).

Também foram registradas manifestações no Rio, como em Copacabana, Leme, Botafogo e Jardim Botânico. Há relatos também de atos contra uma eventual demissãod Mandetta em Belo Horizonte e Salvador.

Os protestos se acentuaram assim que iniciada a coletiva de imprensa de integrantes do governo para tratar da crise. Mandetta não faz parte da mesa.

Há tempos Bolsonaro vem demonstrando insatisfação com o trabalho de Mandetta, que mantém a etse de qu o isolamento social é a forma mais eficáz para o combate ao coronavírus. Chegoua dizer na semana passada que nenhumd e seus ministros era "indemissível", e que faltava "humildade" ao titular da pasta de Saúde.

Em meio ao embate, o miministro chegou a dizer que preferia manter o foco no combate à doença.