Capital paulista cria "hospital catástrofe" para atender pacientes com Covid-19

MARIANA FREIRE E GABRIELA BONIN
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Dois hospitais municipais da capital paulista tiveram a operação alterada para aumentar a oferta de vagas para casos de internação de pacientes com Covid-19. Somados, os hospitais do Jabaquara, zona sul, e Itaquera, zona leste, que passaram a ser classificados como "hospitais de catástrofe", oferecem 540 leitos para o tratamento da doença. Um terceiro hospital, o Hospital Vila Penteado, na zona norte, de gestão estadual, passou a receber apenas internação de pacientes com o coronavírus. Na unidade, há 141 leitos de enfermaria e 55 de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Segundo o vice-governador Rodrigo Garcia, a medida visa a ajudar na logística da distribuição de oxigênio e de insumos para o tratamento da doença. Os atendimentos de pronto-socorro nos hospitais de Itaquera e Vila Penteado estão suspensos. Neles, serão internados somente pacientes transferidos pelos sistemas de regulação de leitos municipal e estadual ou levados por Samu e Resgate. Em Itaquera, há 130 leitos de UTI e 50 de enfermaria dedicados à Covid-19. Todos os 30 pacientes de outros agravos que estavam na unidade foram transferidos desde quinta (18), quando as adaptações tiveram início. Já o Hospital do Jabaquara se torna misto, com 100 leitos de UTI e 260 leitos de enfermaria para a Covid-19. A unidade segue atendendo casos urgentes, muito urgentes e emergências. Segundo a SMS (Secretaria Municipal da Saúde), a orientação é de que pacientes com sintomas respiratórios busquem atendimento nas UBS, UPAs e AMAs das regiões dos hospitais. Os pacientes de Ortopedia e Buco-maxilo e as gestantes do Vila Penteado serão atendidos no Conjunto Hospitalar do Mandaqui e nos hospitais Gerais de Taipas e Vila Nova Cachoeirinha, de acordo com o governo do estado. O Vila Penteado seguirá com a UTI de queimados, para os quais a unidade é referência, em espaço separado. De acordo com a SMS, no domingo (21), data do boletim mais recente, a capital tinha 90% dos 1.356 leitos de UTI para o tratamento da Covid-19 ocupados. Já nos leitos de enfermaria, que são 1.210, a ocupação na cidade é de 74%.