Capital paulista encerra estado de atenção para alagamentos

***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 15.03.2022 - CHUVA-SP: Chuva forte provoca alagamento e deixa carros submersos em Artur Alvim, na zona leste de São Paulo, nesta segunda-feira. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 15.03.2022 - CHUVA-SP: Chuva forte provoca alagamento e deixa carros submersos em Artur Alvim, na zona leste de São Paulo, nesta segunda-feira. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (AGÊNCIA BRASIL) - O estado de atenção para alagamentos na capital paulista foi encerrado pelo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) na manhã desta segunda-feira (31).

As áreas de instabilidade vindas do interior que atuaram com moderada e forte intensidade na cidade provocando chuvas já se afastaram da cidade.

Segundo o CGE, as imagens do radar meteorológico da prefeitura de São Paulo mostram chuva fraca e leve somente na zona leste. Nos municípios de Suzano, Arujá e Itaquaquecetuba chove moderado com pontos fortes.

Ainda de acordo com o CGE, a semana começou abafada com muita nebulosidade, chuvas e termômetros oscilando em torno dos 18,6°C durante a madrugada, devido a áreas de instabilidade associadas com a aproximação de uma frente fria. Os dados do CGE indicam que outubro acumulou até o momento 88,1mm, o que representa aproximadamente 81,6% dos 108mm esperados para o mês.

De acordo com as previsões, no decorrer do dia, o tempo segue instável com chuvas isoladas, que devem se alternar com períodos de melhoria. O céu permanece com muitas nuvens e as temperaturas máximas devem oscilar em torno dos 25°C. No período da tarde as instabilidades voltam a ganhar força, provocando chuvas na forma de pancadas variando de moderada a forte intensidade.

“Há potencial para raios e intensas rajadas de vento, o que mantém elevado o potencial para formação de alagamentos, queda de árvores e deslizamentos de terra. Os ventos passam a soprar do quadrante sul e causam declínio das temperaturas, com mínimas em torno dos 16°C para o final da noite”, diz o CGE.