Capital paulista estuda antecipar para esta sexta (20) a vacinação de jovens a partir de 12 anos

·3 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 16.06.2021 - Vacinação contra a Covid-19 na UBS Max Perlman, zona sul de São Paulo. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 16.06.2021 - Vacinação contra a Covid-19 na UBS Max Perlman, zona sul de São Paulo. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de São Paulo avalia a possibilidade de começar nesta sexta-feira (20) a vacinar contra a Covid-19 jovens a partir dos 12 anos com comorbidades. A informação é do secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, e o anúncio pode ser feito até o fim da tarde desta quinta (19).

Pelo calendário do governo estado, a previsão é vacinar o grupo de 12 a 15 anos com comorbidades entre 26 e 29 de agosto nos municípios paulistas.

Na quarta-feira (18) começou a vacinação de jovens de 16 a 17 anos, também com comorbidades na cidade de São Paulo. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, foram aplicadas 3.590 doses neste primeiro dia.

A meta do governo João Doria (PSDB) é que todos os adolescentes do estado possam ter recebido a primeira dose da vacina Pfizer --a única autorizada pela Anivsa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)-- até 12 de setembro.

"A vacinação, de uma forma geral, está incrível, porque na segunda-feira [16] foram aplicadas 186 mil doses e na quarta, 192 mil [entre primeira, segunda e dose única para adultos]. A adesão está enorme. Já a de jovens está ainda baixa. Não sei se por algum receio", afirmou Aparecido.

"Faremos um esforço para divulgar a vacinação, embora isso tenha sido já feito bastante", acrescentou o titular da pasta da Saúde.

Por causa do que ele considera baixa adesão do primeiro grupo de adolescentes, Aparecido diz que ele e sua equipe estudam a antecipação para esta sexta a imunização de jovens com comorbidades, a partir dos 12 anos. A capital paulista conta, segundo a prefeitura, com uma população de 844.073 jovens, incluindo os sem comorbidades, de 12 a 17 anos.

Por se tratar de um universo de mais quase 40 mil jovens ainda não vacinados, entre 16 e 17 anos, fica inviável realizar a busca ativa, acrescentou Aparecido, como já foi feito pela prefeitura para garantir a aplicação de segunda dose em adultos que não compareceram nos postos nas datas marcadas para o reforço.

"Vamos avaliar [os números] até o final do dia. Dependendo de como for a adesão, abriremos a vacinação para outras faixas [etárias], mas ainda só com comorbidades", destacou o secretário.

Calendário

A vacinação conforme o cronograma estadual ocorrerá em duas fases: até o dia 29 deste mês, serão imunizados adolescentes com deficiências ou comorbidades, além de grávidas e puérperas. Do dia 30 de agosto a 12 de setembro, os demais. A gestão Ricardo Nunes (MDB) ainda não confirmou oficialmente datas para novos grupos na capital.

Entre as comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde estão doenças cardiovasculares, diabetes, pneumopatias crônicas, cirrose hepática, obesidade mórbida e casos de hipertensão. Esse grupo deve comprovar o seu estado de saúde por meio de exames, prescrição médica, receitas ou relatórios, contendo CRM do médico responsável.

Também é preciso levar comprovante de endereço e documento com foto. Os adolescentes precisam estar acompanhados dos pais ou de um responsável.

Nesta quinta foi liberada a imunização dos chamados "sommeliers de vacina", pessoas que acabaram indo para o fim da fila por tentar escolher a marca da vacina a ser tomada, descumprindo uma lei que entrou em vigor, na capital paulista, há cinco semanas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos