Capital paulista recebe 165,3 mil doses da vacina de Oxford

FÁBIO MUNHOZ
·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 01.01.2021 - Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 01.01.2021 - Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cidade de São Paulo começou a receber nesta segunda-feira (25) as primeiras doses das vacinas contra a Covid-19 desenvolvidas pelo laboratório AstraZeneca e pela universidade de Oxford, no Reino Unido. O primeiro lote é composto por 165,3 mil doses do imunizante.

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, gestão Bruno Covas (PSDB), as doses começaram a chegar por volta de 11h ao Cadi (Centro de Armazenamento e Distribuição de Biológicos) do município, depois de terem saído do centro de distribuição do governo paulista.

A pasta afirma que as novas vacinas começarão a ser enviadas nesta terça-feira (26) aos cinco postos de armazenamento e distribuição de imunobiológicos da cidade. É a partir desses locais que os imunizantes serão distribuídos para os hospitais do município.

As 165,3 mil doses da vacina de Oxford se somam a outras 203 mil unidades da Coronavac, produzida em parceria entre o Instituto Butantan e o laboratório chinês Sinovac. Com isso a capital já recebeu 368,3 mil doses do imunizante contra o novo coronavírus.

A primeira remessa 2 milhões de unidades da vacina de Oxford chegou ao Brasil na sexta-feira (22), vinda da Índia. O imunizante foi recebido por autoridades da saúde no aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, após série de adiamentos na liberação da carga, situação que provocou desgaste ao governo federal.

A vacinação contra a Covid-19 na rede municipal começou na última terça-feira (19). A primeira pessoa vacinada foi a técnica de enfermagem Helen Cristina Pacheco, que trabalha no Hospital Municipal Dr. José Soares Hungria, em Pirituba, zona norte de São Paulo.

A secretaria explica que a primeira fase da campanha de vacinação é destinada a profissionais da saúde que estão atuando na linha de frente do combate à Covid-19 em hospitais públicos e privados e em prontos-socorros, UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), AMAs (Assistências Médicas Ambulatoriais), UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

O grupo prioritário para imunização também inclui população indígena e idosos que residem em instituições de longa permanência.

O governo do estado, gestão João Doria (PSDB), iniciou nesta segunda-feira a distribuição de 501 mil doses da vacina de Oxford para os Grupos de Vigilância Epidemiológica, que farão o envio do imunizante aos 645 municípios paulistas. Até as 17h10, mais de 145 mil pessoas já haviam sido vacinadas em São Paulo.