Capitalismo coloca humanidade em risco, diz presidente da Bolívia na ONU

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Bolívia, Luis Arce, afirmou nesta terça-feira (20) em seu discurso na Assembleia-Geral da ONU que o capitalismo está colocando a humanidade em risco, e que os países ricos devem às nações periféricas uma compensação financeira por ameaçarem a segurança, a justiça social e os recursos naturais do planeta.

"Hoje nos encontramos frente a uma crise capitalista múltipla e sistemática que coloca cada vez mais em risco a vida da humanidade e do planeta", disse Arce, acrescentando que o "capricho das potências capitalistas" vem levando à deterioração do sistema multilateral.

O boliviano defendeu substituir os gastos militares para a fabricação de armas de destruição em massa "por uma justa compensação econômica que os países do capitalismo central devem moral e historicamente aos países pobres do mundo".

Arce também criticou o "expansionismo da Otan" e a ingerência dos EUA sobre os recursos naturais bolivianos e disse que a economia boliviana apresentou a menor taxa de inflação da região e não se submete ao FMI (Fundo Monetário Internacional).