Após acidente em Capitólio, MP recomenda que 3 municípios interditem areas de cânions

·1 min de leitura

Nesta quinta-feira (13) o Ministério Público Federal (MPF) recomendou, que os municípios de Capitólio, São João Batista do Glória e São José da Barra, todos no Sul de Minas Gerais, interditar temporariamente o acesso em áreas que tenham as mesmas características ao cânion onde ocorreu a tragédia com 10 mortos no lago de Furnas, no último sábado (8).

Ao município de Capitólio (MG), que já efetuou a interdição do local do incidente, foi recomendado que mantenha a proibição de acesso às áreas dos cânions de Furnas e Cascata D'Água e ao atrativo "Mirante dos Canyons", bem como a outras que tenham sido interditadas por riscos semelhantes.

Assim como Capitólio, municípios da região são famosos por áreas de cânions - Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images
Assim como Capitólio, municípios da região são famosos por áreas de cânions - Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images

O MPF esclareceu que as interdições deverão vigorar até que esses três municípios mapeiem geologicamente suas regiões. O órgão também questionou a Delegacia Fluvial de Furnas, pertencente à Marinha, sobre o deslizamento no cânion e sobre como é feita a fiscalização da segurança de navegação no local.

Outro ponto abordado pela recomendação diz respeito à proibição de navegação de turismo em quaisquer áreas da região para as quais houver alertas emitidos pela Defesa Civil quanto à ocorrência de tempestades, chuvas intensas e riscos de cabeça ou tromba d'água.

A empresa Furnas Centrais Elétricas também terá que prestar esclarecimentos. Ela deverá enviar ao MPF o mapa geológico da região e os últimos relatórios de monitoramento.

As informações solicitadas têm como base o Contrato de Concessão nº 004/2014, feito entre a Agência Nacional de Energia Elétrica e Furnas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos