Cara de pau e sorte salvaram CEO da Sambatech e da Samba Digital de perrengue

·2 min de leitura

A Sambatech foi fundada por Gustavo Caetano em 2004 como uma empresa de soluções para jogos mobile. Mas, em 2008, enfrentou um perrengue financeiro: por conta da crise econômica global, o dinheiro que receberia de um fundo atrasou e conseguir clientes para conseguir pagar os seus funcionários e fornecedores se tornou urgente.  

A oportunidade para continuar no mercado surgiu quando Gustavo estava folheando uma revista e se deparou com um artigo da executiva do Grupo Bandeirantes Silvia Saad.Mesmo em ter qualquer contato com ela, o CEO da Samba abusou da sorte e da cara de pau: ele testou diferentes possibilidades de endereço de e-mail com o nome de Silvia e conseguiu approach para vender as soluções digitais de vídeos. 

Em 2009, a Sambatech se tornou uma empresa digital com foco em vídeos online. Hoje, a empresa atua principalmente na distribuição de videoaulas EAD para universidades e de cursos corporativos. Já a Samba Digital, criada em 2020, tem como objetivo levar inovação e transformação digital a seus clientes.

Caetano avalia transformação digital paralela ao metaverso

Se por um lado esperamos um novo mundo nascer com a chegada do metaverso (que, segundo projeções da Bloomberg Intelligence deve movimentar US$ 800 bilhões), por outro existe uma transformação tecnológica já em andamento. Segundo o CEO da Sambatech e da Samba Digital, Gustavo Caetano, “todas as empresas de todos os mercados vão ser empresas de tecnologia”. Isso porque ele acredita que inovação é um conceito muito mais ligado com facilitar processos do que com inventar coisas que não existem.

“A transformação digital não é só das grandes empresas, como era antigamente, mas está chegando nas médias e vai chegar até as pequenas”, afirma Caetano. Apesar do entusiasmo gerado por esse avanço (a Samba Digital teve um aumento de 650% no número de clientes no primeiro semestre de 2021), a principal preocupação das empresas que trabalham com a oferta de soluções tecnológicas continua sendo a escassez de mão de obra: segundo a Brasscom, até 2024, pelo menos 420 mil novas vagas devem ser abertas para o setor de tecnologia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos