Cardeal francês diz que abusou de menina de 14 anos e se retira de funções

PARIS (Reuters) - O cardeal francês Jean-Pierre Ricard disse nesta segunda-feira que abusou de uma menina de 14 anos décadas atrás e que se retiraria de suas funções.

"Trinta e cinco anos atrás, quando eu era pároco, me comportei de maneira repreensível com uma jovem de 14 anos. Meu comportamento inevitavelmente levou a consequências graves e duradouras para essa pessoa", disse Ricard em comunicado.

Ricard pediu perdão e afirmou que se retiraria de suas funções e estaria disponível para autoridades legais e eclesiásticas. Ele foi bispo na região de Bordeaux de 2001 a 2019.

No total, 11 bispos ou ex-bispos, incluindo um ex-bispo de Creteil, perto de Paris, Michel Santier, são atualmente alvo de investigações de abuso, disse Éric de Moulins-Beaufort, chefe da conferência dos bispos franceses, em entrevista coletiva nesta segunda-feira. Ele leu a declaração de Ricard durante o evento.

Estas são as mais recentes revelações a atingir a Igreja Católica Romana, que foi abalada por violações de abuso sexual em todo o mundo nos últimos 20 anos, muitas vezes envolvendo crianças.

Na França, no ano passado, uma investigação independente apontou que o clero francês abusou sexualmente de mais de 200.000 crianças nos últimos 70 anos, e seus autores disseram que a Igreja Católica fez vista grossa por muito tempo.

(Reportagem de GV De Clercq e Ingrid Melander)