Cardeal que foi feito refém é libertado em Camarões

·1 minuto de leitura
(Arquivo) Cardeal Christian Tumi, então arcebispo de Douala, em 7 de outubro de 2004, em Douala
(Arquivo) Cardeal Christian Tumi, então arcebispo de Douala, em 7 de outubro de 2004, em Douala

O cardeal Christian Tumi, de 90 anos, sequestrado na quinta-feira (5) à noite no oeste de Camarões, foi libertado nesta sexta-feira (6) - informou à AFP o arcebispo de Douala, Samuel Kleda. 

"O cardeal e seu motorista foram libertados há pouco. É um alívio, mas também é chocante saber que um cardeal de 90 anos foi mantido refém", disse Kleda em conversa por telefone com a AFP.

Camarões é palco de um conflito sangrento entre o Exército e separatistas.

O cardeal aposentado, arcebispo emérito de Douala e famoso em Camarões por suas incansáveis tentativas de mediação entre os separatistas anglófonos e o governo de Yuandé, foi libertado por seus sequestradores junto com seu motorista, confirmou um funcionário das autoridades locais à AFP, que pediu para permanecer anônimo.

As demais pessoas sequestradas junto com eles por desconhecidos na noite de quinta-feira, perto de Kumbo, na região noroeste, ainda estão sendo mantidas como reféns, acrescentou a mesma fonte.

Segundo o responsável local, o prelado e seu motorista foram separados do restante do grupo, para o qual representantes da população local estão negociando a libertação.

Os rebeldes separatistas anglófonos armados fazem sequestros com frequência, incluindo de personalidades, desde o início deste conflito, há quase quatro anos.

Esses sequestros geralmente terminam com a liberação relativamente rápida dos reféns, em troca de resgate, ou após negociações.

Embora não seja usual, algumas pessoas foram executadas, especialmente membros das forças de segurança, professores e civis acusados de colaborarem com o Estado. O governo sempre atribui estes atos, de autoria nunca reivindicada, a grupos separatistas.

rek-gir/stb/bc/mar/mr/tt