Carga de energia do Brasil fica 5% abaixo do previsto

Luciano Costa - Repórter da Agência Brasil

A carga de energia registrada no sistema elétrico do Brasil na segunda-feira (23) somou 62,5 gigawatts médios, cerca de 5% abaixo das estimativas iniciais do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para o dia. De acordo com o órgão, a queda deve-se aos impactos sobre a demanda, causados pelas medidas adotadas no combate ao novo coronavírus. Gigawatt é a unidade de energia equivalente a um bilhão de watts.

Os dados - que constam de boletim publicado nesta terça-feira (24) pelo ONS - mostram, também uma redução de 13,85% na comparação com a segunda-feira anterior (16), quando a carga no Brasil somou 72,5 gigawatts médios.

A carga, que representa a soma do consumo com as perdas na rede, ficou abaixo do previsto em todas as regiões do país, disse o ONS no boletim.

O ONS informou que começou a verificar redução de demanda no sistema a partir da quinta-feira passada (19), quando houve queda de 2,3% na comparação com mesmo dia da semana anterior, em meio a recomendações do governo para que as pessoas fiquem em suas casas e à adoção de trabalho remoto por empresas.

Há expectativas de que a retração da carga se acentue nesta semana, quando entram em vigor medidas mais restritivas, como uma quarentena decretada pelo governo do estado de São Paulo que determinou o fechamento de todos os estabelecimentos comerciais e de serviços considerados não essenciais.