Carla Zambelli viaja para fora do Brasil, mas nega fugir da Justiça

PSOL pede cassação de Carla Zambelli após deputada perseguir apoiador de Lula com uma arma na mão (EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
PSOL pede cassação de Carla Zambelli após deputada perseguir apoiador de Lula com uma arma na mão

(EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

  • Carla Zambelli viaja aos EUA;

  • Deputada negou estar fugindo da justiça brasileira;

  • Em nota, afirmou que está "cumprindo agendas pessoais" no país.

A deputada Carla Zambelli viajou para fora do Brasil nesta quinta-feira (3), em voo com destino aos Estados Unidos. A informação foi confirmada pela parlamentar à coluna de Igor Gadelha, do portal Metrópoles. A parlamentar, no entanto, nega que tenha fugido do país, como acusam publicações no Twitter.

“Estou cumprindo agendas pessoais e aproveitarei a ocasião para estudar meios de assegurar e restaurar a liberdade de expressão no Brasil junto a autoridades americanas”, afirmou em nota.

A especulação começou após um tuíte do deputado André Janones (Avante), que apontava que Zambelli “deixou o país” de “maneira repentina”.

Na terça-feira (1º), o PSOL pediu a cassação da deputada por quebra de decoro parlamentar, após ela perseguir um apoiador de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com uma arma na mão.

O episódio aconteceu no sábado passado (29), um dia antes do segundo turno das eleições. Inicialmente, ela disse que o homem havia a empurrado, o que fez com que ela caísse e se machucasse. Uma outra gravação, no entanto, desmentiu a versão.

Os perfis da deputada – como Twitter, Instagram, Facebook, Telegram, TikTok e LinkedIn – foram tirados do ar pela Justiça.

Zambelli foi presa?

Na madrugada do dia 30, o segurança da bolsonarista – que atirou durante a confusão envolvendo o apoiador de Lula – foi preso, mas pagou fiança e foi liberado. A deputada, no entanto, não passou pelo mesmo porque não infringiu a lei eleitoral. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a perseguição aconteceu a mais de 100 metros de uma seção eleitoral e, por isso, não se enquadra na lei que proíbe o transporte de armas nas 48 horas que antecedem a votação e nas 48 horas após o pleito.

Além disso, parlamentares só podem ser presos em flagrante por crimes inafiançáveis. Por ter imunidade, Zambelli deve ser julgada pelo plenário da Câmara dos Deputados.