Carli supera desconfiança e pode ganhar seu segundo título com o Botafogo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Quando o Botafogo anunciou o retorno de Joel Carli, em março, a desconfiança tomou conta de parte da torcida do alvinegro. Afinal, o zagueiro vinha em meio a uma renegociação de dívida trabalhista com o clube e quando o elenco parecia bem reforçado no setor defensivo. Mas a história estava desenhada para ter um final feliz: o retorno à Série A, confirmado na última segunda-feira, teve o capitão como um de seus protagonistas.

Na vitória do acesso por 2 a 1 sobre o Operário, o Xerife, apelido que ganhou na primeira passagem, comemorou no gramado com o filho Valentín. As imagens dos dois visivelmente emocionados no Nilton Santos captaram o sentimento de um jogador, muito ligado à família, que desde 2016 adota o Rio cada dia mais como sua segunda casa — carinho ligado diretamente ao Botafogo.

— Momento muito especial. Eu e minha família sonhamos com isso, eu voltei para isso. Poder comemorar com nossa torcida e com a família é um momento inesquecível — disse o jogador na saída do gramado.

Para chegar à titularidade e à apoteose do acesso, o argentino de 35 anos superou dificuldades físicas que já o acompanhavam desde o fim de sua primeira passagem pelo clube.

Na reta final da Série B, o zagueiro esteve em campo em nove dos últimos onze jogos, sendo uma das ausências pelo terceiro cartão amarelo. Com ele em campo nesse período, o alvinegro sofreu apenas quatro gols, além de registrar uma única derrota. Um aproveitamento de 74%.

Numa das receitas mais clássicas do futebol brasileiro, a dupla do experiente argentino com o jovem Kanu engrenou. Em entrevista ao GLOBO, o técnico Enderson Moreira explicou que queria o zagueiro como referência. O processo de reincorporação contou com uma recuperação física, que provou-se vital para a sequência de jogos.

— A primeira coisa que perguntei ao Freeland (Eduardo, diretor de futebol) foi se ele estava com alguma limitação para jogar. Não havia. Acreditei muito que ele pudesse ser a nossa referência dentro de campo. Não adiantava ter um jogador com liderança dele fora do processo — contou Enderson.

Hoje, às 16h, o Botafogo visita o lanterna Brasil-RS no Bento de Freitas. Se vencer a partida e o Coritiba, que encara simultaneamente o CSA, tropeçar, o alvinegro garante o título da Série B antecipadamente. O troféu seria o segundo de Carli no clube, após a épica conquista do Campeonato Carioca de 2018, quando marcou nos acréscimos e levou a disputa para os pênaltis.

Segundo estrangeiro que mais atuou com a camisa do Botafogo na história (168 jogos), Carli ganha adeptos para figurar no muro de ídolos em frente a General Severiano. As artes, tocadas por um grupo de torcedores, têm Seedorf e Loco Abreu como homenageados mais recentes. Em campo, o capitão faz por onde.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos