Carlos Bolsonaro e deputado se acusam um ao outro de 'chifrudos'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Carlos Bolsonaro
    Político brasileiro
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 17.04.2020 - O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 17.04.2020 - O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O deputado federal Julian Lemos (PSL-PB) disse à reportagem que o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) é uma pessoa com "problemas psicológicos e sexuais" e que ele e a família "não admitem que já estão praticamente nos últimos dias de governo porque não conseguem fazer nada além de gerar polêmicas inúteis".

Os dois bateram boca nas redes sociais nesta quarta-feira (5) após o filho do presidente criticar a aproximação de seu ex-aliado com o presidenciável Sérgio Moro (Podemos). Lemos foi um dos principais apoiadores de Jair Bolsonaro em 2018, mas rompeu com o presidente. Agora, está organizando a agenda de uma viagem do ex-juiz ao Nordeste.

"O maior fofoqueiro do Brasil [Moro] foi encontrar o seu chifrudo [Lemos] na Paraíba com dinheiro do fundo eleitoral? Par perfeito que explica a falta de testosterona e vergonha na cara do grupinho!", escreveu o 02 de Bolsonaro.

"O [imagem de um cachorro] presidencial falando sobre testosterona. Logo tu? Não sei aqui quem tem chifre, mas no RJ eu sei quem tem e quem botou em você", respondeu Lemos, citando o deputado Carlos Jordy (PSL-RJ).

"A única referencia que tenho de chifre é que ele [Carlos] foi traído pelo Jordy", disse à reportagem.

Carlos e Jordy também se desentenderam no Twitter no começo desta semana após Jordy postar um vídeo em que cobra empenho do presidente para que os bolsonaristas consigam eleger mais deputados e senadores.

"Cornos e ladrões! Quer continuar a brincadeira ladrão de salário de assessor? Faça como eu, deixa a pistola de lado e os seguranças, e vamos testar os níveis de testosterona, topa?", continuou Lemos nas redes sociais.

O deputado também disse à coluna que é "preciso desconsiderar" aos comentários do filho do presidente Bolsonaro e que espera que Carlos "chegue a um ponto de equilíbrio". Ele ainda afirmou que atribui os ataques " à arrogância peculiar da família Bolsonaro".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos