CPI da Covid: Carlos Bolsonaro participou de reunião com representantes da Pfizer e Wajngarten, diz CEO

·1 minuto de leitura
  • Ex-CEO da Pfizer no Brasil, Carlos Murillo, confirmou à CPI presença de Carlos Bolsonaro em reunião no Planalto

  • Na ocasião, representantes da empresa se reuniram com o ex-chefe da Secom Fabio Wajngarten

  • Em seu depoimento ontem, Wajngarten disse que não se lembrava de participantes

O ex-CEO da Pfizer no Brasil, Carlos Murillo, confirmou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado a presença do vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos) à reunião no Palácio do Planalto com o ex-secretário de Comunicação Fabio Wajngarten e representantes da Pfizer.

O chefe da Assessoria Internacional do presidente Jair Bolsonaro, Filipe Garcia Martins, também esteve presente na reunião.

Leia também

Segundo Murillo, ele foi informado pela diretora jurídica da empresa que, inicialmente, na reunião no Palácio do Planalto, apenas Wajngarten e um assessor da área de compliance da Secom estavam presentes. Em seguida, o então chefe da Comunicação recebeu uma ligação e deixou a sala.

Quando ele voltou, estava acompanhado do vereador Carlos Bolsonaro e de Filipe Martins.

Ontem, em seu depoimento à CPI, Wajngarten disse que não se lembrava os participantes da reunião com a Pfizer. Em sua fala, ele explicou que a carta da farmacêutica Pfizer foi enviada a diversos membros do governo no dia 12 de setembro. No dia 17 de novembro, houve uma reunião com representantes da Pfizer sobre vacinas no Palácio do Planalto, quando o presidente Jair Bolsonaro foi avisado imediatamente.

“Me chama a atenção que, num país republicano, que tem sua institucionalidade, o filho do presidente, que não exerce nenhum cargo de relevância, aliás, cargo nenhum na administração federal, participe da compra de imunizantes", afirmou o senador Rogério Carvalho (PT-SE).

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta já havia indicado, em seu depoimento à CPI, que o presidente Jair Bolsonaro tinha "aconselhamento paralelo" para a tomada de decisões na pandemia do coronavírus. 

"Participei de inúmeras reuniões nas quais o filho do presidente, que é vereador no Rio, estava presente tomando notas", disse Mandetta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos