Carlos Bolsonaro se confunde ao confrontar matéria e usa perfil do pai por engano: 'Estou focado em ser vereador'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Carlos Bolsonaro ficou bravo com comentários pedindo morte do pai. Foto: Reprodução/Instagram
Em outro episódio, o perfil de Jair Bolsonaro publicou um post sobre Carlos Bolsonaro, abordando um projeto da Câmara de Vereadores carioca (Foto: Reprodução/Instagram)

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) se confundiu mais uma vez ao utilizar o perfil de uma rede social de seu pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Carlos publicou equivocadamente, na quarta-feira (21), um post dizendo que “ocupava o cargo de vereador” em um conta do pai. Pouco depois, a publicação foi apagada e republicada na conta de Carlos.

Desta vez, Carlos tinha intenção de rebater uma matéria publicada na coluna da revista Época. O texto abordava os avisos do vereador ao pai sobre o massacre de críticas que estava acontecendo nas redes bolsonaristas contra o anúncio da compra da vacina chinesa, a CoronaVac, pelo ministro da Saúde Eduardo Pazuello — que também foi diagnosticado com a Covid-19.

"Estou impossibilitado de ser o “Controlador Geral da União” nomeado pel(x) Guilherme Amado, pois momentaneamente ocupo o cargo de vereador da cidade do Rio de Janeiro! Há impedimento legal!", disse Carlos, referindo-se ao colunista da revista e ao suposto “poder” de controlar decisões internas do governo.

Carlos utilizou a rede social do pai equivocadamente para responder coluna (Foto: Reprodução/Facebook)
Carlos utilizou a rede social do pai equivocadamente para responder coluna (Foto: Reprodução/Facebook)

Horas antes, o colunista havia publicado que Carlos já havia dito ao pai que um massacre viria pelas redes, assim como já ocorrera quando indicou o desembargador Kassio Marques para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia também

Acontece que, desta vez, o presidente acatou os avisos do filho, o que não ocorreu no STF. Após os apelos do filho “zero dois”, o presidente mudou completamente a posição do governo, desautorizou Pazuello e vetou a compra.

Administrar as redes sociais do pai parece ser rotina para Carlos. No ano passado, ele chegou a impedir o acesso do pai ao Twitter por conta de um desentendimento familiar. Em outro episódio, o perfil o presidente publicou um post sobre Carlos Bolsonaro, abordando um projeto da Câmara de Vereadores carioca.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos