Carlos Bolsonaro usa camiseta de Martin Luther King, e a internet não perdoa

Carlos Bolsonaro reage com um palavrão ao ser questionado sobre o paradeiro de Fabrício Queiroz. Foto: Reprodução/Twitter


RESUMO DA NOTÍCIA

  • Flagrado nesse sábado (22) usando uma camiseta do líder pacifista Marthin Luther King, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) despertou a reação de internautas, nas redes sociais.

  • Conduta é pouco ou nada condizente com seu modo corriqueiro de reagir – em geral virulento, em contraste com Luther King; na ocasião, reagiu com um palavrão ao ser questionado.

Flagrado nesse sábado (22) usando uma camiseta do líder pacifista Marthin Luther King, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) despertou a reação de internautas, nas redes sociais, pela conduta pouco condizente com seu modo corriqueiro de reagir – em geral virulento, em contraste com Luther King, um dos ativistas políticos mais importantes do movimento pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

O filho “02” do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi filmado por um jovem no que aparenta ser o terminal de um aeroporto. Uma usuária do Twitter não deixou barato: “A vida é contraditória, mas vcs viram o Carluxo com a camiseta com estampa do Martin Luther King?”

Leia também

Ao se deparar com Carlos, que estava protegido por um segurança, o rapaz perguntou "cadê o Queiroz", em referência a Fabricio Queiroz, ex-assessor do senador Flavio Bolsonaro (sem partido), suspeito de participação num esquema de "rachadinha" no gabinete do parlamentar quando ele era deputado estadual pelo Rio. Com cara de poucos amigos, Carlos respondeu: "No teu c...".

Segundo o portal UOL, o nome de Martin Luther King foi parar nos trending topics do Twitter, assuntos mais comentados da rede, por causa da camiseta usada pelo vereador.

Luther King nasceu em 1929 e lutou pelos direitos civis dos negros nas décadas de 1950 e 1960. À época, a população negra norte-americana, em especial nos Estados do sul, vivia isolada em guetos e frequentava escolas públicas e outros espaços públicos, como no transporte, de forma segregada, ou seja, em espaço e condições diferentes dos oferecidos aos brancos.

Grande orador, King tinha a habilidade de mobilizar centenas de milhares de pessoas. Na Marcha sobre Washington, em 1963, mais de 200 mil pessoas acompanharam seu discurso histórico: "Eu tenho um sonho de que meus quatro filhos pequenos vão um dia viver em uma nação onde serão julgados não pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu caráter." No ano seguinte, ele foi laureado com um Nobel da Paz.

King foi assassinado em 4 de abril de 1968, em Memphis, aos 39 anos.