Cármen Lúcia manda tirar do ar site que critica Bolsonaro

Ministra Cármen Lúcia (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)
Ministra Cármen Lúcia (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

A ministra Cármen Lúcia, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), determinou nesta segunda-feira (19) a retirada do ar de um site que critica o presidente Jair Bolsonaro (PL). A informação é do portal g1.

As imagens associam Bolsonaro, dentre outras coisas, ao nazismo de Adolf Hittler e identificam o mandatário como uma “ameaça ao Brasil”.

O pedido foi feito pela campanha do mandatário e, na avaliação da ministra, houve propaganda eleitoral negativa —o que é proibido pela legislação eleitoral.

"Tem-se que o sítio foi criado com a finalidade de induzir o eleitor em erro ao ser criado com endereço eletrônico com o nome do candidato e com a seguinte mensagem: “Ameaça ao Brasil”, declarou Cármen.

De acordo com o portal g1, a ministra disse ainda que "é juridicamente possível a restrição do exercício desse direito fundamental", a livre manifestação do pensamento, "quando constatada eventual ilicitude no seu desempenho".

O domínio bolsonaro.com.br já pertenceu e era utilizado por Bolsonaro. Segundo informações do portal UOL, que capturou um registro antigo do site pelo WayBack Machine, o político fazia campanha em prol de si mesmo e do filho Flávio Bolsonaro, que concorria a uma vaga para deputado estadual no Rio de Janeiro.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)