Carmo Dalla Vecchia registra queixa contra ataques homofóbicos: 'Denunciar é ato de civilidade'

Carmo Dalla Vecchia registrou ocorrência em razão dos ataques homofóbicos dos quais foi vítima dias atrás. O ator esteve na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI), no Centro do Rio de Janeiro, na manhã desta segunda-feira (11), para registrar ocorrência em razão dos ataques homofóbicos dos quais foi vítimas dias atrás.

— É importante as pessoas não se sentirem protegidas por estarem atrás de um nick name. É importante saberem que suas palavras falam muito de quem são e que podem ser penalizadas por elas. É importante e um ato de civilidade denunciar — disse o ator ao GLOBO.

Em seu perfil no Instagram, Dalla Vecchia postou uma foto ao lado dos advogados Samer Agi e Edemm Shalon, que o acompanharam à delegacia. Ele escreveu:

"Na manhã de hoje, acompanhado dos amigos e juristas @sameragi e @edemmshalonadv, registramos ocorrência em razão dos ataques de que fui vítima há alguns dias. A responsabilização penal daqueles que se valem do anonimato da internet para injuriar e discriminar pessoas por sua orientação sexual é necessária e pedagógica. Precisamos aprender a nos respeitar sempre, em qualquer lugar e de todas as formas. Agora, a polícia civil fará o trabalho investigativo. Agradeço à delegada Déborah e à toda equipe da DECRADI a atenção. Unidos, construiremos uma sociedade melhor".

Há uma semana, o ator expôs prints de mensagens homofóbicas que recebeu nas redes sociais, onde é atacado por ser homossexual: "Teus filhos vão ser gays igual você. Tu vai ensiná-los a ser assim. É por isso que o mundo está repleto de vocês. Porque vocês influenciam garotos a serem assim. Seus vermes", dizia uma delas.

O ator compartilhou também sua resposta às mensagens. "Será que os seus sairão iguais a você? Se saírem eu os abraço também. Eu entendo... Faltou amor, carinho, afeto... Deve ter sido difícil. E pela sua fala continua sendo. Não te responderei mais porque talvez só alimente sua ira. Mas desejo profundamente que evolua. Mas se meu filho for gay, acho que vou amar mais ainda. Se isso for possível. Acho que não. Já amo até o céu sendo ele quem quiser ser", disse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos