Carnaval 2023: Imperatriz e Leandro Vieira vão contar a história de Lampião na Avenida

Histórias do Nordeste contadas em cordéis vão se transformar em carnaval na Avenida com o enredo de estreia de Leandro Vieira como carnavalesco da Imperatriz Leopoldinense no Grupo Especial. Para o carnaval de 2023, ele - que já tinha assinado um carnaval para a escola de Ramos no Grupo de Acesso - vai contar a chegada de Lampião ao céu e ao inferno no enredo "O aperreio do cabra que o excomungado tratou com má-querença e o santíssimo não deu guarida".

O universo nordestino de Virgulino Ferreira da Silva sob o olhar da literatura popular estrá representado na Sapucaí, com referências ao cangaço e tradições estéticas e musicais do sertão.

— O enredo se debruça na "peleja" inverossímil e delirante dos cordelistas que, após a morte do cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva - o famoso Lampião -, transformaram em jocoso, ficcional e rica literatura o destino pós-morte da mítica personalidade nordestina — diz o carnavalesco.

A inspiração veio dos populares livretos escritos em verso, típicos da cultura nordestina, como "A chegada de Lampião no inferno", "O grande debate que teve Lampião com São Pedro" e "A chegada de Lampião no céu".

Para mostrar um pouco do que vem por aí, Leandro e o designer Thiago Santos criaram um a logo para o enredo, com a estética de cordel. A apresentação do enredo acontece no próximo dia 29.

Após seis anos à frente da Mangueira, um dos carnavalescos mais aplaudidos da nova geração deixou a escola, após conquistar dois títulos: Em 2019, com o enredo "História para ninar gente grande", e em 2016, com o enredo "Maria Bethânia: A menina dos olhos de Oyá. Leandro também não faz mais o carnaval do Império Serrano. Em 2022, a escola conquistou o título da Série Ouro com o enredo "Mangangá", assinado por ele.

Outras escolas já têm enredo para 2023

Campeã do Grupo Especial em 2022, a Grande Rio que conquistar o bicampeonato contando a história do portelense Zeca Pagodinho, com os carnavalescos Leonardo Bora e Grabriel Haddad.

A Portela, por sua vez, contará a sua própria história para celebrar o centenário da escola de Madureira. De volta ao Grupo Especial, o Império Serrado escolheu o sambista Arlindo Cruz como grande homenageado. Ainda que o anúncio não tenha sido feito oficialmente, já circulam fotos dele e da mulher Babi Cruz com o carnavalesco Alex de Souza.

Já a Viradouro vai levar para a Sapucaí um enredo sobre a vida e a obra de Rosa Courana, ou Rosa Maria Egipcíaca da Vera Cruz, considerada a primeira mulher negra a escrever um livro no Brasil. Quem vai construir essa história é o carnavalesco Tarcísio Zanon.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos