Carnaval de São Paulo: Liga das Escolas defende máscaras e passaporte vacinal

·2 min de leitura
Carnaval de São Paulo pode acontecer com redução de público e dos integrantes das escolas, além de uso obrigatório de máscaras e apresentação do passaporte vacinal.
Carnaval de São Paulo pode acontecer com redução de público e dos integrantes das escolas, além de uso obrigatório de máscaras e apresentação do passaporte vacinal. (Foto: Alexandre Schneider/Getty Images)
  • Carnaval de São Paulo pode ocorrer com uso de máscaras e passaporte, propõe Liga das Escolas

  • Público e integrantes das escolas também serão reduzidos, segundo o protocolo

  • Decisão final da Prefeitura será anunciada somente na quinta (20)

A Liga das Escolas de Samba de São Paulo (Liga-SP) propôs que o desfile de Carnaval das escolas de samba de São Paulo aconteça com uso obrigatório de máscara e apresentação do passaporte da vacina.

O protocolo sanitário apresentado pela Liga-SP à Secretaria Municipal de Saúde, em reunião nesta segunda-feira (17), também prevê redução tanto de público como dos integrantes da escola de samba, obedecendo as novas restrições determinadas pelo governo de São Paulo.

A decisão sobre o evento deve ser anunciada na próxima quinta-feira (20).

O objetivo do encontro foi justamente discutir protocolos sanitários para que os desfiles deste ano possam acontecer, em meio ao crescimento dos casos de Covid-19 na capital paulista e o cancelamento do carnaval de rua.

Na reunião, que estiveram presentes representantes da Secretaria de Cultura e da Vigilância Sanitária da capital paulista, a Liga-SP se comprometeu diminuir o número de integrantes por escolas de 2 mil para 1,5 mil nos desfiles de 2022.

O público no Sambódromo do Anhembi também será reduzido para a 70% da capacidade total, como sugerem as novas diretrizes para eventos públicos, culturais e esportivos do governo de São Paulo, anunciadas na semana passada.

As datas do desfile das escolas de samba do Carnaval em São Paulo

Caso os protocolos sejam aceitos pelas autoridades sanitárias da cidade, os desfiles de carnaval no Anhembi devem acontecer nos dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro, como já estava previsto no calendário de eventos da cidade para 2022.

A secretária municipal de Cultura, Aline Torres, confirmou a proposta da Liga-SP e disse que os protocolos sugeridos pelas escolas de samba foram muito bem aceitas pelas autoridades municipais, mas a resposta final será anunciada apenas na quinta-feira (20), depois de um segundo encontro do grupo, previsto para quarta-feira (19).

Para os desfiles da União das Escolas de Samba Paulistanas (UESP), que reúne as escolas do grupo de acesso e se apresentam em alguns bairros da cidade, a principal mudança é que os desfiles devem acontecer ou no sambódromo do Anhembi ou em Interlagos e não mais nas ruas, como antes.

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), anunciou em 6 de janeiro o cancelamento do carnaval de rua de São Paulo em 2022 por causa do avanço da Covid-19 na cidade, após a chegada da variante ômicron.

Apesar do cancelamento, Nunes manteve os desfiles das escolas de samba de SP no Sambódromo do Anhembi, se a Liga aceitar os protocolos sanitários que serão determinados.

Segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, os protocolos ainda não foram definidos, mas serão norteados com as exigências da vigilância sanitária da cidade, em parceria com a Liga-SP.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos