Carnaval em SP: desfile das escolas de samba terá máscara e vacinas obrigatórias

·2 min de leitura
Carnaval em SP: entre os protocolos estão a exigência do passaporte de vacina e redução de público e componentes por escola.
Carnaval em SP: entre os protocolos estão a exigência do passaporte de vacina e redução de público e componentes por escola. (Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images)
  • Carnaval em SP: Saúde define protocolos sanitários para realização dos desfiles na capital

  • Entre os protocolos estão a exigência do passaporte de vacina e redução de público e componentes por escola;

  • Os desfiles no Anhembi devem acontecer nos dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro;

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo definiu, nesta quarta-feira (19), o protocolo sanitário para os desfiles de Carnaval 2022 no Sambódromo do Anhembi, na capital.

O protocolo com as diretrizes da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa) é fruto de duas reuniões realizadas entre as Secretaria municipais de Cultura, Segurança Urbana, Saúde, juntamente com a São Paulo Turismo (SPTuris).

Os desfiles no Anhembi devem acontecer nos dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro, como já estava previsto no calendário de eventos da cidade para 2022.

Na última segunda-feira (17), a Liga das Escolas de Samba de São Paulo (Liga-SP) propôs que o desfile acontecesse com uso obrigatório de máscara, apresentação do passaporte da vacina e redução tanto de público como dos integrantes da escola de samba, obedecendo as novas restrições determinadas pelo governo de São Paulo.

Proposta acatada até então para a realização dos desfiles das escolas de samba no sambódromo. Entre as já citadas acima, também estão outras diretrizes que fazem parte do protocolo sanitário:

  • Limite de ocupação máxima de 70% da capacidade de público em todos os setores, incluindo arquibancada, camarotes e pista;

  • Pré-cadastro de componentes do desfile com o Passaporte da Vacina, que será exigido também para os desfilantes;

  • Uso obrigatório de máscara para desfilantes e espectadores;

  • Redução do número de componentes por escola;

  • Controle de público na concentração e dispersão e recomendações para os ensaios técnicos e encontros nas quadras.

Caso haja mudança importante no cenário epidemiológico da COVID19 na cidade, a COVISA, SPTURIS e LIGASP, se reunirão para discutir a possibilidade de adiamento do Carnaval 2022.

Os organizadores dos eventos permitidos durante o carnaval assumirão a responsabilidade pelo cumprimento das obrigações e recomendações descritas no protocolo sanitário, conforme o documento disponível neste link.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos