Carnaval em SP: “Não é momento de pensar em grandes aglomerações”, avalia comitê científico

·2 min de leitura
Revelers participate in DJ Alok's street carnival block, in the city of Sao Paulo, on February 16, 2020. (Photo by Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images)
Carnaval de 2020 na cidade de São Paulo (Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images)
  • Comitê científico do governo do estado de São Paulo avalia que é cedo para falar em carnaval

  • Paulo Menezes, coordenador do comitê científico, mostrou preocupações com aglomerações que podem ser geradas

  • Nesta quarta, governo anunciou que uso de máscara deixará de ser obrigatório em locais abertos a partir de 11 de dezembro

Ainda não há definição sobre o carnaval no estado de São Paulo em 2022. Com algumas cidades paulistas anunciando que não haverá festividades, o comitê científico do governo não confirma que o estado promoverá eventos.

“Realmente, nós, hoje, entendemos que ainda é precoce pensar em uma situação de multidões na rua com aglomeração, mesmo que seja daqui a três meses”, afirmou Paulo Menezes, coordenador do comitê científico do governo, no dia em que São Paulo anunciou a flexibilização do uso de máscaras. A partir de 11 de dezembro, o item de proteção não será mais obrigatório em locais abertos.

“Temos boas perspectivas, como já foi colocado hoje, o avanço da cobertura vacinal no estado de São Paulo é exemplo para o mundo e, mais ainda, o que também nós temos de exemplo é conjugar o avanço da cobertura vacinal com a manutenção de outras coberturas que tem garantido o nosso sucesso no enfrentamento à pandeia neste momento. Nós não podemos nos enganar que estamos livres da pandemia, livre do coronavírus. Ele está circulando, por isso estamos mantendo as medidas com cautela e progressivamente.”

Dessa forma, Menezes afirmou que entende que “não é momento de pensar nas grandes aglomerações do carnaval”. O médico reconheceu a importância econômica do evento e se mostrou confiante no progresso da situação. “Estamos confiantes que possamos ter uma situação bastante mais favorável até o final de fevereiro, mas, neste momento, precisamos continuar com segurança”, declarou.

O governador João Doria também falou em agir com “prudência e com cautela”. Doria lembrou que cada prefeito tem autonomia para decidir se vai adotar medidas mais restritas. “Nós, como governo do estado, temos sempre a medida da cautela, da prudência, para que prefeitos e prefeitas possam agir dentro de um campo seguro e adequado. Prefeitura podem ser mais rigorosas que o governo do estado, não podem ser menos rigorosas.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos