Carnaval: Listamos algumas peças que prometem invadir a folia de rua

Sabe aqueles adereços pesados de cabeça que ganharam as ruas em carnavais passados? Ao que tudo indica, voltaram a ser coisa de rainha de bateria. Ainda existem modelos incríveis por aí, é verdade, mas quem entende do vuco-vuco dos blocos aposta que o conforto será a tônica em 2023. “Chapéus e viseiras são cada vez mais procurados”, diz Clarissa Romancini, da Ohlograma, que este ano desembarcou nas araras da C&A ao lado de Alexia Hentsch.

Mas isso não significa que a montação foi negligenciada. A Lilac e a sua linha de joias para vestir, feitas em Swarovski, tem um solidéu que é um luxo só (pense numa teia de cristais sobre a cabeça). “E ainda vamos lançar um modelo novo, mais comprido, tipo corte chanel”, avisa a designer Gabi Queiroz.

Se você é sensível a toda essa luz, não tem problema. O Grito Bazar preparou uma seleção de óculos que fariam até Elton John sambar como Globeleza. “São para compor o look, causar impacto!”, diz o diretor criativo Thiago Neves, que participa, com outras marcas cheias de ziriguidum, da Feira na Laje, na Retropy, em Botafogo, neste fim de semana.

Neves também investiu em modelos de catsuits, uma espécie de fusão entre o macacão e a meia arrastão, que exala sensualidade e se adapta a todos os corpos. Recatados e recatadas, podem jogar um quimono por cima, como o providencial “lágrimas das inimigas” da Paeteh. “Também fizemos modelos mais curtos”, ressalta o estilista da marca, Estéfano Hornhardt, antevendo protestos dos calorentos.

Por fim, para quem sonha com um efeito ventilador-da-Beyoncé, a Ken-gá tem roupas e acessórios cheios de franjas. “São peças com muita cor e movimento”, descreve a estilista Lívia Barros. É só vestir e torcer para

que os deuses carnavalescos soprem bons ventos.