Carnaval no Sambódromo do Rio é desaconselhado por membros do comitê científico

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 03.09.2020 - O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 03.09.2020 - O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Durante reunião nesta sexta-feira (7), membros do comitê científico do estado do Rio desaconselharam a realização do Carnaval da Marquês de Sapucaí e já avaliam pedir a suspensão dos desfiles diante do aumento de casos de Covid-19.

Segundo informações do jornal O Globo, parte do colegiado considera que o cenário epidemiológico do Rio não é favorável à realização de eventos que gerem aglomeração, como os desfiles no Sambódromo.

Nesta sexta, o governador do Rio, Cláudio Castro (PL), escreveu nas redes socais que é a favor da suspensão do Carnaval de rua em todo o estado. Ele não mencionou, porém, os desfiles das escolas de samba.

"Sugeri ao comitê científico do estado a suspensão do Carnaval de rua em 2022. Seria irresponsável autorizar aglomerações, sem haver a possibilidade de seguir os protocolos sanitários, enquanto os casos de Covid-19 crescem."

Em nota, o governo do estado disse que o Carnaval da Sapucaí está mantido. "Não é possível decidir sobre um evento que irá acontecer daqui a dois meses à luz do cenário epidemiológico momentâneo. Novas reuniões deverão acontecer para embasar a decisão da SES (Secretaria de Estado de Saúde)."

O Carnaval de rua da cidade do Rio já havia sido cancelado pelo prefeito Eduardo Paes (PSD), na terça (4). A decisão foi motivada pelo crescimento de casos de Covid-19 na capital fluminense, fenômeno que está sendo impulsionado pela variante ômicron, dizem especialistas.

A decisão foi informada por Paes e pelo secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, em reunião com representantes de cerca de 450 blocos da cidade, que concordaram com a medida, e depois anunciada em transmissão nas redes sociais. No total, 506 blocos de rua se inscreveram neste ano.

"O Carnaval de rua, por sua própria natureza e pelo aspecto democrático que tem, gera a impossibilidade de se exercer qualquer tipo de fiscalização", afirmou Paes.

Na ocasião, ele disse que o desfile na Sapucaí estava mantido, porque, segundo ele, seria possível promover o controle sanitário do Sambódromo.

A cidade do Rio vem observando um aumento nos casos de Covid nesse começo de ano. A taxa de testes positivos para a doença estava em 13% na última semana e saltou para 43% nesta semana. Em meados de dezembro, esse percentual estava em 1%.

O total de casos de Covid confirmados por data de início dos sintomas também teve um salto. A média móvel aumentou de 20 casos em dezembro para quase 2.000 casos nesta sexta.

Embora esteja em um patamar baixo, a ocupação dos leitos de UTI aumentou desde o Natal. Eram sete pessoas internadas no dia 25, número que subiu para 23 nesta quinta (6). Especialistas atribuem esse cenário à variante ômicron.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos