Carro atropela bolsonaristas que bloqueavam rodovia em protesto golpista em SP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um carro atropelou um grupo de bolsonaristas que ocupava a rodovia Washington Luís, em Mirassol, no interior de São Paulo, na tarde desta quarta (2). O acidente ocorreu por volta das 15h20, no km 541 da estrada.

O motorista de 28 anos foi preso em flagrante. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) afirmou que dois policiais militares rodoviários foram atropelados, além de outras pessoas. As vítimas foram levadas às unidades hospitalares da região. Não foi divulgado o número de feridos —inicialmente a Polícia Civil havia informado que 11 pessoas tinham sido atingidas pelo veículo. Não há registro de mortes.

"O homem passava com seu veículo pelo local, mas, ao tentar ser impedido de seguir por um grupo de pessoas, acelerou o carro", diz a nota da SSP.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram o carro, um Fox prateado, avançando em direção ao grupo. Pessoas são vistas sendo levadas em cima do capô e do para-brisa do automóvel.

Na sequência, o veículo é parado por um policial militar. O homem estaria acompanhado de uma mulher. Os dois foram levados à Delegacia de Mirassol. Foi solicitada perícia para o local. O caso foi registrado como tentativa de homicídio.

Na tarde do terceiro dia de protestos bolsonaristas que contestam o resultado das eleições presidenciais, 14 estados estão com rodovias bloqueadas, segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), cinco a menos que na noite de terça-feira (1º).

Ceará, Rio de Janeiro, Roraima, Goiás, Maranhão e Bahia desinterditaram todas as rodovias. Pernambuco e Rio Grande do Sul chegaram a desmobilizar os manifestantes ao longo do dia, mas já têm novos pontos de protestos.

O número de interdições também caiu, mas ainda há cerca de 120 pontos no país, 70 a menos que os 190 registrados por volta das 21h desta terça-feira. O número chegou a 235 pontos antes do pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (PL), na tarde de terça.

As mobilizações continuam mesmo após o STF (Supremo Tribunal Federal) ameaçar multar em R$ 100 mil e até prender o diretor-geral da PRF, Silvinei Vasques, se não houver medida efetiva da corporação para liberar as vias.

O Supremo intimou governadores e autorizou o uso da Polícia Militar, inclusive em rodovias federais, para liberar as estradas. Também determinou a prisão por flagrante delito das pessoas que estiverem praticando crimes contra o Estado Democrático de Direito.

A PRF já aplicou quase 2.000 multas a motoristas que estão bloqueando as rodovias, em um valor que já ultrapassa R$ 18 milhões.