Carros autônomos enfrentam caminho incerto para implantação nos EUA

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - Fabricantes de automóveis e as empresas de tecnologia enfrentam um caminho esburacado para eliminar obstáculos regulatórios à implantação de veículos autônomos sem controles humanos em vias públicas, disseram autoridades do setor e políticos nos EUA.

Os reguladores norte-americanos não deram nenhuma indicação de quando poderão agir para aprovar milhares de carros autônomos nas estradas do país sem volante ou pedal de freio. Autoridades da Administração Nacional de Segurança no Tráfego Rodoviário dos Estados Unidos (NHTSA) se recusaram a mencionar um prazo.

O secretário de Transportes norte-americano, Pete Buttigieg, disse neste mês que tem "grande esperança para a chance teórica de que carros autônomos e de alta tecnologia salvem milhares de vidas porque os seres humanos têm um histórico basicamente assassino como motoristas de carros. Mas ainda não chegamos lá."

Muitos parlamentares e representantes da indústria pediram a Buttigieg para desenvolver uma estrutura federal abrangente para veículos autônomos, alertando que os EUA podem perder a corrida para a China.

"Estamos atrasados ​​na definição de uma estrutura regulatória que promova essa inovação, ao mesmo tempo em que protegemos e incentivamos todos os benefícios importantes que acreditamos que os veículos autônomos são capazes de oferecer", escreveram uma dúzia de senadores democratas dos EUA em abril.

A carta citou os esforços dos concorrentes, principalmente da China, que "investiram significativamente em tecnologias de veículos autônomos e conectados".

A questão assumiu nova urgência à medida que as mortes no trânsito nos EUA dispararam desde o início da pandemia, saltando 10,5% no ano passado, para 42.915, marcando o maior número de mortos em um ano desde 2005.

Defensores dizem que os veículos autônomos têm o poder de reduzir mortes no trânsito, expandir o acesso à mobilidade para deficientes, reduzir a necessidade de estacionamento em cidades congestionadas e reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

"Estamos trabalhando duro para encontrar um terreno comum para conseguir algo que possamos aprovar", disse a deputada Debbie Dingell, democrata de Michigan, à Reuters em julho.

Embora as leis não estejam sendo aprovadas, a NHTSA nos últimos meses intensificou o escrutínio de sistemas avançados de assistência ao motorista e sistemas de veículos autônomos. Em 2021, a agência orientou as montadoras e empresas de tecnologia a relatar imediatamente acidentes envolvendo veículos autônomos.