Cartão corporativo pagou nove quartos de hospedagem para servidores em viagem de lazer de Michelle Bolsonaro

Em viagem de lazer para São Miguel dos Milagres, no estado de Alagoas, a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro usou o cartão corporativo para hospedar equipe de segurança da Secretaria Especial de Administração da Presidência da República. Entre os dias 3 e 9 de abril de 2021, foram gastos R$ 16,2 mil em diárias para os servidores que ficaram alojados em uma pousada localizada na Rota Ecológica da cidade turística. O estabelecimento confirmou ao GLOBO que nove quartos foram alugados no período. Na mesma ocasião, o maquiador e amigo próximo de Michelle, Agustin Fernandez compartilhou registros no Instagram na localidade.

Entenda: Como a PF identificou e prendeu o homem que destruiu o relógio de Dom João VI no Planalto

Depoimentos, vídeos e mensagens: veja os indícios que apontam para a premeditação dos atos golpistas

Vídeo: Bolsonaristas tentam impedir protesto contra ex-presidente em Orlando

Em post curtido por Michelle, Fernandez divulgou que esteve no hotel Vila Stature, acomodação de luxo na cidade que conta com suítes e bângalos com piscina privativa na beira do mar. Atualmente, as diárias são a partir de R$ 2 mil.

Nesta segunda-feira, a agência Fiquem Sabendo divulgou notas fiscais referentes aos gastos com o cartão corporativo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Entre elas, há o documento referente à pousada O Casarão, onde os servidores ficaram hospedados durante viagem da ex-primeira-dama. A nota aponta que as diárias saíram no valor de R$ 300.

Impasse no julgamento de militares: a missão mais espinhosa do novo comandante do Exército

Bela Megale: Como o ex-comandante do Exército reagiu ao ser comunicado sobre sua demissão

Em simulações feitas pela reportagem, a hospedagem no local, atualmente, varia entre R$ 400 e R$ 500. O processo de prestação de contas mostra que foram feitas consultas prévias em busca de opções mais baratas.

Apenas em abril de 2021, a família do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) fez sete viagens, quatro delas foram realizadas por Michelle. A ex-primeira-dama esteve em três cidades do interior de São Paulo — Presidente Prudente, Araçatuba e São José do Rio Preto — e em outro destino turístico, Caldas Novas, em Goiás, onde a equipe de servidores ficou hospedada por três dias. Na localidade, o hotel escolhido foi o resort Thermas di Roma, localizado no centro da cidade conhecida pelas águas termais e com diárias de até R$ 3,7 mil.

Picanha, leite condensado e Rivotril: a rotina de Bolsonaro pelos gastos com cartão corporativo

O custeio da segurança dos filhos dos ex-presidente também aparece nas notas fiscais. Em viagem do vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro a Brasília, o cartão corporativo pagou R$ 2,3 mil em viagens. Sem cargo eletivo, Jair Renan também foi acompanhado por seguranças em uma viagem que fez a Resende, no interior do Rio, no mesmo mês.

Contra o cartão corporativo

Ao longo de seu mandato enquanto presidente da República, Bolsonaro disse ao menos 15 vezes em lives que não usava o cartão corporativo. Em uma entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, em janeiro de 2022, o então chefe do Executivo disse que utilizava o benefício para o custeio de seguranças no dia-a-dia.

— A média está em R$ 3 milhões. Nunca gastei um centavo, eu posso sacar até R$ 25 mil por mês e tomar Tubaína, mas nunca usei — afirmou à época.