Cartazes pelo país chamam ministro do STF de 'ditador de toga'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
SÃO PAULO, SP 07-09-2021:  ATO-BOLSONARO - Ato pró-Bolsonaro na Avenida Paulista. Manifestantes exibem cartazes e faixas de apoio ao Governo Federal (Foto: Eduardo Knapp/ Folhapress)
SÃO PAULO, SP 07-09-2021: ATO-BOLSONARO - Ato pró-Bolsonaro na Avenida Paulista. Manifestantes exibem cartazes e faixas de apoio ao Governo Federal (Foto: Eduardo Knapp/ Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ, E SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - As manifestações de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foram marcadas por ataques ao STF (Supremo Tribunal Federal) e pedidos de intervenção militar em diversas cidades pelo país, com cartazes em diferentes idiomas.

No Rio de Janeiro, algumas faixas pediam intervenção federal. Uma delas defendia a medida para "acabar com o puteiro em Brasília". "O resto da limpeza é com o voto impresso", diziam os escritos.

Havia cartazes também defendendo a criminalização do comunismo e a adoção de uma nova Constituição. O maior alvo, porém, era a Suprema Corte. Uma das placas pedia a destituição dos seus 11 membros.

"Presidente, coloque todos esses vagabundos na cadeia. Começando pelo STF!!!", afirmava uma. "Os brasileiros exigem a saída dos juízes da Suprema Corte", dizia outra, com tradução para o inglês.

Muitos questionavam a atuação de Alexandre de Moraes, principal nome citado pelos manifestantes. O ministro era classificado em vários cartazes como "ditador de toga".

Em Brasília, um grupo também trazia os dizeres: "Não é impeachment! Exigimos imediata destituição de todos os ministros do STF". Em outra faixa, a sigla "STF" era completada com os adjetivos "sórdido", "trapalhão" e "falso".

Mensagens na mesma linha apareceram em Curitiba -"Intervenção federal do STF e no Congresso!"- e também no interior de Santa Catarina. Um trator que bloqueava a rodovia federal na cidade de Guaruva levava a frase: "Destituição dos ministros do STF".

Em Salvador, um dos trios elétricos que comandaram o protesto trazia uma faixa bilíngue com a mensagem "Bolsonaro e Forças Armadas salvem a democracia", em português e inglês. Uma segunda mensagem dizia "Fim da Ditadura do STF. Artigo 142 está na Constituição".

No meio da multidão, um dos manifestantes carregava um cartaz pregando "intervenção federal com a manutenção de Bolsonaro na Presidência". Outra pedia intervenção militar: "Bolsonaro e Forças Armadas, nos libertem do comunismo".

No Recife, manifestantes que caminharam em passeata na orla da praia de Boa Viagem entoaram gritos de "eu autorizo". Em Fortaleza, um carro de som tocava jingles de Bolsonaro em ritmo de forró com a faixa: "Liberdade não se ganha, se toma".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos