Cartunista, pintor e escritor, André Dahmer expõe suas serigrafias preferidas em Copacabana

Dedicado à árdua tarefa de extrair humor do noticiário nosso de cada dia, o cartunista André Dahmer selecionou algumas de suas serigrafias preferidas, que traduzem o espírito do nossos tempos sem ter, necessariamente, relação com algum fato específico, para a individual que inaugura na próxima quinta-feira, na galeria Artur Fidalgo, em Copacabana. Entre elas estão PAs (as provas de artista, que o autor mantém de edições já esgotadas) sobre temas como o contexto político, consumo e negacionismo.

Com outra mostra em cartaz em São Paulo (na 9° Arte Galeria, na Rua Augusta, até o dia 25), Dahmer, que publica tirinhas diariamente no Segundo Caderno do GLOBO, quis trazer para a mostra carioca serigrafias de seu acervo.

— Ano passado fiz uma exposição que também contou com pinturas e bandeira, na Silvia Cintra + Box 4 ( a individual “Ainda estamos aqui”). Agora surgiu a oportunidade de expôr com o Artur Fidalgo, que é um grande amigo, e resolvi trazer essas serigrafias mais queridas, com um caráter mais atemporal. As mais relacionadas a acontecimentos mais recentes estão em São Paulo — explica Dahmer.

Fotos inéditas

Na mostra carioca, o artista expõe, pela primeira vez, seu trabalho como fotógrafo:

— Eu fotografo desde os 17 anos, aprendi a revelar filme no laboratório da faculdade. Nunca tinha mostrado este lado do meu trabalho, e dessa vez decidi expôr um díptico fotográfico. Acho uma linguagem muito próxima do desenho, fotografar é desenhar de alguma forma.

Premiado no Jabuti de 2017 pelo livro “Quadrinhos dos anos 10” e cinco vezes vencedor do Troféu HQMix, Dahmer teve seu primeiro emprego dentro de uma redação de jornal, no extinto diário esportivo “Lance”, onde trabalhou como infografista. Hoje, a relação cotidiana com o noticiário vem dos temas que possam render inspiração para a sua produção diária.

— De modo diferente, também tenho esse compromisso diário de publicar, com prazo, horário de fechamento. Não é como estar na redação, mas estruturo meu dia de trabalho de acordo com essa demanda.

O principal desafio, nos tempos atuais, é encarar fatos que causam mais raiva do que risos para reapresentá-los aos leitores com a ironia habitual de séries como “A menina que recitava comentários da internet”, “As novas aventuras do Homem Literal” e “Em matéria de quadrinhos, tudo já foi feito”.

— Sempre achei que viver de fazer humor seria ótimo, mas isso, claro, em condições normais. Hoje é mais difícil, é uma sensação de que estamos vivendo um dia de cada vez. Sigo no meu trabalho diário porque o considero importante, mas tem horas mais complicadas de buscar a alegria, diante de situações tão pouco republicanas — comenta.

Romance nos planos

Em 2021, Dahmer lançou seu terceiro livro de poesias, “Impressão sua: poemas”. Atualmente, ele trabalha em um novo projeto literário, também pela Companhia das Letras, a sua editora:

— Estou escrevendo um romance, mas sem nenhuma pressa para publicação, ainda estou estruturando o texto. Se der para lançar este ano, ótimo. Se demorar outros três, também não tem problema nenhum.

SERVIÇO Onde: Galeria Artur Fidalgo — Shopping Cidade Copacabana, Rua Siqueira Campos, 143 (2549-6278). Quando: Seg a sex, de 10h às 19h. Abertura quinta, às 19h. Até 18/7. Quanto: Grátis. Classificação: Livre.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos