Casa de Agnaldo Timóteo é invadida e depredada no Rio

·1 minuto de leitura
O cantor Agnaldo Timóteo - Lourival Ribeiro/SBT
O cantor Agnaldo Timóteo - Lourival Ribeiro/SBT

A casa de Agnaldo Timóteo, localizada na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, foi invadida e depredada. Segundo o advogado do cantor, Sidney Lobo Pedroso, a mansão foi invadida por dois homens que teriam pulado o muro e tentado atear fogo na placa de "vende-se" da residência. Uma funcionária dormia no local e teria impedido que o fogo se alastrasse.

Leia também:

Na semana passada, Timotinho, sobrinho de Agnaldo, divulgou um vídeo em que mostra o vidro da entrada da casa quebrados após um ator de vandalismo.

O fato aconteceu poucas semanas após a Justiça reconhecer como herdeira do patrimônio de R$ 16 milhões do cantor a filha Keyty Evelyn, de 14 anos, criada por ele desde os 2 anos.

O legado de Agnaldo Timóteo

O cantor é um dos grandes expoentes do romantismo no Brasil e tem mais de 70 anos de carreira. Seu primeiro álbum foi gravado em 1961 com a ajuda da amiga e patroa Ângela Maria. Em 1963 gravou seu terceiro disco, o ‘Tortura de Amor’, pela Philips uma das maiores gravadoras da época.

Mas sem o apoio do selo, Agnaldo começou então o que seria uma marca da sua carreira: vender seus álbuns de mão em mão. O cantor vendeu todas as 180 cópias deste terceiro trabalho nas praças do Rio de Janeiro.

Em 1967 teve seu primeiro grande sucesso, a música ‘Meu Grito’, composta por Roberto Carlos. Parte do disco ‘Obrigado Querida’, a canção ficou em primeiro lugar de execuções em todo o Brasil. Durante os 70 anos de carreira, Agnaldo lançou cerca de 66 álbuns e teve três shows registrados em DVDs.

  

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos