Casa Branca diz que EUA não receberam pedido do Brasil sobre situação de Bolsonaro

Assessor de Segurança Nacional, Jake Sullivan, durante coletiva de imprensa na Casa Branca, em Washington, EUA

Por Jarrett Renshaw e Steve Holland

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Os Estados Unidos não receberam nenhum pedido oficial do governo brasileiro sobre o status do ex-presidente Jair Bolsonaro no país depois que seus apoiadores invadiram as sedes dos Três Poderes, em Brasília, no domingo, informou a Casa Branca nesta segunda-feira.

O assessor de Segurança Nacional, Jake Sullivan, que está em viagem com o presidente Joe Biden para uma cúpula entre EUA, México e Canadá na Cidade do México, disse a repórteres que as autoridades norte-americanas não estão em contato direto com Bolsonaro, que estaria em Orlando, no Estado da Flórida.

Sullivan disse que espera que Biden converse com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre os acontecimentos em Brasília, mas não sabe quando isso acontecerá.

Os Estados Unidos acreditam que a democracia brasileira é "forte, resiliente e vai superar isso", disse ele.

"Expressamos confiança, porque acreditamos nisso, que as instituições democráticas do Brasil serão mantidas, que a vontade do povo brasileiro será respeitada, que líderes livremente eleitos do Brasil governarão o Brasil e não serão impedidos ou desviados do curso pelas ações dessas pessoas que agrediram os instrumentos de governo em Brasília", afirmou.

Uma fonte próxima à família Bolsonaro confirmou que o ex-presidente foi internado nesta segunda-feira em um hospital de Orlando, mas disse que o caso "não é preocupante".

Sullivan não tem informações sobre Bolsonaro e disse que Washington não recebeu nenhum pedido oficial sobre a situação do ex-presidente nos Estados Unidos.

"Claro que, se recebêssemos tais pedidos, os trataríamos da maneira que sempre fazemos, trataríamos com seriedade", disse ele.

(Reportagem de Jarrett Renshaw e Steve Holland)