Casa Branca diz que haverá consequências à Rússia se Navalny morrer

·1 minuto de leitura

WASHINGTON (Reuters) - O conselheiro de segurança nacional do presidente Joe Biden, Jake Sullivan, disse no programa “State of The Union” da CNN, neste domingo, que o governo dos EUA afirmou à Rússia que “haverá consequências” se Alexei Navalny, opositor do Kremlin, morrer na prisão.

“Nós comunicamos ao governo russo que o que acontecer com o senhor Navalny enquanto ele estiver sob sua custódia é responsabilidade deles e que eles serão responsabilizados pela comunidade internacional”, disse Sullivan à CNN.

“Em relação a medidas específicas que tomaremos, estamos considerando uma variedade de custos diferentes que imporíamos. Não vou telegrafar publicamente o que faremos neste momento, mas comunicamos que haverá consequências se o senhor Navalny morrer”, acrescentou.

A Reuters publicou anteriormente que Navalny está sob um risco cada vez maior de ter falha nos rins e que sua visão está se deteriorando após mais de duas semanas em greve de fome.

Navalny, 44, proeminente adversário do presidente russo Vladimir Putin, começou a recusar comida em 31 de março para protestar a falta de tratamento médico para sua perna e costas.

(Por Sarah N. Lynch)