Promotoria do Equador abre caso por suposta participação em lavagem de ativos

Quito, 22 abr (EFE).- A Promotoria de Equador informou neste sábado que está processando o ex-ministro de Eletricidade Alecksey M. por sua suposta participação em lavagem de dinheiro, dentro do caso de corrupção da Odebrecht, no qual se investigam supostos subornos dessa companhia no país.

A informação foi divulgada em comunicado no que, conforme a legislação do país, não publica o sobrenome completo dos envolvidos.

O promotor-geral, Galo Chiriboga, disse que "graças à informação solicitada pela Promotoria e à assistência penal internacional se conseguiu processar Alecksey M. e Marcelo E. no caso Odebrecht".

Marcelo E. é sócio de companhias que teriam recebido dinheiro de corrupção, segundo Chiriboga.

Os agora processados foram detidos ontem à noite em Quito em duas batidas comandadas pela Promotoria, disse, ao apontar que os fatos investigados começaram a partir do dia 25 de fevereiro de 2011, e destacando que então "Alecksey M. não exercia cargo público".

Detalhou que a juíza Gloria Mayorga ditou prisão preventiva para Alecksey M., e domiciliar para Marcelo E., por ser de terceira idade.

Ambos estão proibidos de alienar seus bens e os valores de suas contas bancárias estão retidos. EFE