Casa Branca nega relações de Trump com atriz pornô

Atriz pornô que alega ter mantido um romance com Donald Trump na cerimônia de entrega dos prêmios da indústria do cinema adulto, em 27 de janeiro de 2018, em Las Vegas

A Casa Branca negou nesta quarta-feira que Donald Trump tenha mantido relações sexuais com a estrela pornô Stormy Daniels há mais de uma década e, pago por seu silêncio dias antes das eleições de 2016.

"O presidente nega as acusações contra ele", disse a porta-voz da Casa Branca Sarah Sanders.

"Se referiu diretamente (a estas afirmações) e deixou muito claro que nenhuma destas alegações é correta".

O advogado da atriz, Michael Avenatti, disse na véspera que sua cliente manteve uma relação íntima com Trump em 2006 e 2007, e que recebeu 130 mil dólares para não revelar o caso.

Segundo a imprensa americana, Daniels, 38, que na verdade se chama Stephanie Clifford, quer "contar a verdade" sobre o que ocorreu, e alega que o acordo de confidencialidade não tem validade porque carece da assinatura de Trump.

Avenatti apresentou na terça-feira uma ação em um tribunal de Los Angeles para anular o acordo de confidencialidade, firmado com Michael Cohen, advogado de Trump, no dia 28 de outubro de 2016.

"O acordo impunha diferentes condições e obrigações não apenas à senhora Clifford, mas também ao senhor Trump. Exigia igualmente a assinatura de todas as partes, incluindo a do senhor Trump", identificado no documento como David Dennison.

Segundo a ação, Clifford decidiu contar sua história no final da campanha eleitoral, quando tomou conhecimento do tratamento degradante de Trump com outras mulheres.

Mas Cohen "agressivamente" tratou de "silenciar a senhora Clifford como parte de um esforço para evitar que falasse a verdade, ajudando a garantir que venceria a eleição presidencial", assinala o documento

A partir de janeiro de 2018 e diante da revelação de "detalhes do acordo" pela imprensa, "o senhor Cohen, por meio de coerção e intimidação, forçou a senhora Clifford a firmar uma declaração dizendo que as informações sobre sua relação com o senhor Trump eram falsas".

"Em 13 de fevereiro, Cohen divulgou um comunicado sobre a senhora Clifford e a existência de um acordo de confidencialidade sem seu consentimento", e por volta de 27 de fevereiro "Cohen iniciou de maneira insidiosa um procedimento de arbitragem falso contra a senhora Clifford em Los Angeles (...) sem adverti-la".

Cohen admitiu no mês passado ter pago 130 mil dólares a Clifford, mas não precisou o motivo. Declarou ter feito o pagamento por conta própria e que não foi reembolsado, e afirmou que "nenhuma organização de Trump ou da campanha de Trump participaram da transação".

A ação assinala que Stephanie Clifford e Donald Trump mantiveram uma relação íntima - iniciada em Lake Tahoe, Califórnia - entre o verão boreal de 2006 e "boa parte de 2007".

O magnata se casou com Melania Knauss em 2005 e seu filho Barron nasceu em março de 2006.

Nesta quarta-feira, Avenatti declarou que a atriz "acredita ser importante que o público saiba o que aconteceu". "Acredito que é o momento de ela contar sua história e do público decidir a verdade".