Casa Branca reforma critérios de segurança após escândalo

John Kelly (D) propôs uma série de ajustes para limitar as autorizações de segurança temporárias depois de que Rob Porter (E) trabalhou por meses sem autorização total

O chefe de gabinete da Presidência americana, John Kelly, ordenou ajustar os critérios sobre o acesso do pessoal da Casa Branca a informações confidenciais, depois de que um funcionário trabalhou durante meses sem ter autorização total.

Kelly, um ex-general do corpo de Marines, propôs uma série de mudanças com o objetivo de limitar as autorizações temporárias de segurança, mas que parecem também destinadas a traçar um linha após o escândalo em torno de Rob Porter.

Porter, que tinha acesso diário ao Salão Oval e manejava documentos confidenciais, teve de renunciar este mês após acusações de que batia em uma de suas duas ex-esposas.

Durante meses, o FBI soube das acusações e notificou a Casa Branca, mas ele continuou tendo acesso a segredos de Estado e a reuniões confidenciais.

A situação de Porter poderia tê-lo feito objeto de chantagem.

"Poderíamos - e no futuro, devemos - trabalhar melhor", escreveu Kelly em um memorando ao pessoal, acrescentando que "os eventos recentes expuseram algumas carências persistentes".

Um comitê do Congresso investiga o caso.

Entre as mudanças recomendadas por Kelly, estão priorizar os casos mais urgentes e melhorar a troca de informações entre o FBI e a Casa Branca.

A medida parece ameaçar a posição do genro e assessor do presidente Donald Trump, Jared Kushner, que tem uma autorização provisória.

Em declaração à AFP, seu advogado disse que "não houve preocupações" com o pedido de autorização de Kushner.

"Minhas consultas com os envolvidos confirmaram novamente que há uma dúzia, ou mais, de pessoas no nível do sr. Kushner, cujo processo está atrasado. Não é raro que esse processo leve tanto tempo em uma nova administração", disse o advogado Abbe Lowell.

"A nova política anunciada pelo general Kelly não afetará a capacidade do sr. Kushner para continuar fazendo o muito importante trabalho que lhe foi designado pelo presidente", completou.