Casa Civil lista 23 críticas ao governo federal no combate à pandemia de covid-19

·3 minuto de leitura
BRASILIA, BRAZIL - OCTOBER 28: Jair Bolsonaro, President of Brazil, and Head of the Secretariat of Government of the Presidency Luiz Eduardo Ramos during Civil Servant Day Ceremony amidst the coronavirus (COVID-19) pandemic at the Planalto Palace on October 28, 2020 in Brasilia. Brazil has over 5.439,000 confirmed positive cases of Coronavirus and more than 157,000 deaths. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
Lista elaborada pela Casa Civil, do ministro Luiz Eduardo Ramos, critica governo de Jair Bolsonaro durante na condução da pandemia de covid-19 (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)
  • Casa Civil elaborou documento que lista 23 críticas ao governo federal na condução da pandemia

  • Lista foi feita para colaborar com a CPI da Covid no Senado

  • 13 ministérios foram informados e tiveram de responder sobre as críticas até a última sexta-feira (23)

A Casa Civil, do ministro Luiz Eduardo Ramos, fez uma lista com 23 críticas e acusação sobre o desempenho do governo federal no combate à pandemia da covid-19. Os tópicos devem ser investigados durante a CPI da Covid no Senado.

O documento foi relevado pelo portal Uol e inclui o descrédito à CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan e pela SinoVac, a não adoção de medidas restritivas durante a pandemia, a promoção do tratamento precoce e outros problemas. Na lista, há um tópico que diz que o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) politizou a pandemia. 

Leia também

A lista feita pela Casa Civil cita os problemas e marca quais foram os ministérios responsáveis. Na questão da CoronaVac, por exemplo, estão marcados o Ministério da Saúde, o de Relações Exteriores e o de Ciência e Tecnologia.

A Casa Civil enviou o documento a 13 ministérios. As respostas sobre os itens deveriam ter sido enviadas até a última sexta-feira (23). O objetivo da pasta é colaborar com a CPI.

Ao G1, a Casa Civil enviou uma nota dizendo que o procedimento era natural. “Obviamente, diante da CPI da covid-19 no Senado Federal, nada mais natural que a Casa Civil reunir todos os dados e números de maneira a esclarecer qualquer questionamento feito no âmbito da comissão, além de se preparar para desmentir narrativas mentirosas que visem apenas atingir e desacreditar o Governo Federal”, alega a pasta.

A previsão é que a CPI da Covid seja instalada na próxima terça-feira (27). O relator será o senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Confira a lista completa elaborada pela Casa Civil:

  1. O Governo foi negligente com processo de aquisição e desacreditou a eficácia da Coronavac (que atualmente se encontra no Programa Nacional de Imunização - PNI);

  2. O Governo minimizou a gravidade da pandemia (negacionismo);

  3. O Governo não incentivou a adoção de medidas restritivas;

  4. O Governo promoveu tratamento precoce sem evidências científicas comprovadas;

  5. O Governo retardou e negligenciou o enfrentamento à crise no Amazonas;

  6. O Governo não promoveu campanhas de prevenção à Covid;

  7. O Governo não coordenou o enfrentamento à pandemia em âmbito nacional;

  8. O Governo entregou a gestão do Ministério da Saúde, durante a crise, a gestores não especializados (militarização do MS);

  9. O Governo demorou a pagar o auxílio-emergencial;

  10. Ineficácia do PRONAMPE [programa de crédito];

  11. O Governo politizou a pandemia;

  12. O Governo falhou na implementação da testagem (deixou vencer os testes);

  13. Falta de insumos diversos (kit intubação);

  14. Atraso no repasse de recursos para os Estados destinados à habilitação de leitos de UTI;

  15. Genocídio de indígenas;

  16. O Governo atrasou na instalação do Comitê de Combate à Covid;

  17. O Governo não foi transparente e nem elaborou um Plano de Comunicação de enfrentamento à Covid;

  18. O Governo não cumpriu as auditorias do TCU durante a pandemia;

  19. Brasil se tornou o epicentro da pandemia e 'covidário' de novas cepas pela inação do Governo;

  20. General Pazuello (ex-ministro da Saúde), general Braga Netto (ex-ministro da Casa Civil, atual ministro da Defesa) e diversos militares não apresentaram diretrizes estratégicas para o combate à Covid;

  21. O Presidente Bolsonaro pressionou Mandetta e Teich (Luiz Henrique Mandetta e Nelson Taich, ex-ministros da Saúde demitidos por Bolsonaro) para obrigá-los a defender o uso da Hidroxicloroquina;

  22. O Governo Federal recusou 70 milhões de doses da vacina da Pfizer;

  23. O Governo Federal fabricou e disseminou "fake news" sobre a pandemia por intermédio do seu gabinete do ódio.