Casa de família que denunciou abordagem violenta da PM é atingida por tiros

·3 minuto de leitura
Policiais militares espancam família em Santo André (SP)
Policiais militares espancam família em Santo André (SP). Foto: Reprodução/Twitter
  • Cinco disparos atingiram o imóvel

  • Vítimas acreditam que sofreram retaliação por denunciar agentes

  • Agressão de policiais contra família foi gravada em vídeo por testemunhas

 A família relatou que foram acordados na madrugada da última segunda-feira (30) o ruído de cinco disparos, que atravessaram o portão e perfuraram o carro que estava na garagem, além de danificar paredes. Ninguém se feriu.

Agora, a Polícia Civil investiga o caso e busca identificar o autor ou autores dos tiros. A família registrou o ocorrido como ameaça e disparo de arma de fogo no 1º Distrito Policial (DP) de Santo André.

"Uma das vítimas foi ouvida e passou detalhes do ocorrido. Foi realizada perícia no local. Diligências estão em andamento para localizar imagens e testemunhas que auxiliem na identificação dos autores e esclarecer os fatos", informa nota da assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Para as vítimas a principal suspeita é de que os tiros foram uma retaliação por parte de policiais militares.

Leia também:

"Acordamos com o barulho dos tiros. Foram cinco disparos. Ninguém se feriu", disse um dos familiares ao portal G1. "Desconfiamos que esse ataque possa ter sido cometido por outros PMs".

A família contou que, após ouvirem os disparos, um dos parentes foi até a janela e viu um motociclista que fez ameaças e disse: "vai morrer todo mundo". O homem teria fugido em seguida em uma moto preta. Depois, um carro branco passou duas vezes em frente à residência, que a família acredita ser a escolta do motociclista.

"Essa retaliação que sofreram, além de inédita em casos do tipo, justifica ainda mais as prisões e a necessidade da corporação e da corregedoria investigarem se outros PMs fizeram esses ataques", afirmou o advogado Ariel de Castro Alves, presidente do Grupo Tortura Nunca Mais.

Entenda a denúncia contra a PM

A família denunciou à Corregedoria da Polícia Militar (PM) na última sexta-feira (27) uma abordagem violenta cometida por sete agentes da corporação em frente a casa das vítimas. Em vídeos gravados por testemunhas e pelas próprias vítimas revelam que os agentes ofenderam e agrediram ao menos seis pessoas.

De acordo com os relatos das testemunhas, um rapaz da família foi abordado pelos PMs quando estava na frente de sua casa, esperando os parentes abrirem o portão porque ele havia esquecido as chaves. Como também estava sem documentos, os policiais o detiveram e passaram a ofendê-lo.

Depois os agentes acusaram o jovem de desacato e decidiram prendê-lo. Ele resistiu. As imagens mostram o momento que os PMs aparecem usando uma arma de choque para tentar imobilizar o rapaz.

Nas filmagens também, é possível ver os parentes dele se aproximando para levar os documentos do jovem para os policiais. Ao invés de pegá-los, os PMs passam a agredir dois outros homens e uma mulher, ainda na rua.

No vídeo, PMs aparecem dando chutes nas pernas e socos nos rostos vítimas, que caem no chão, tentando escapar das agressões. Um deles utiliza o mata-leão (chave de braço na qual se aperta o pescoço da pessoa), golpe abolido e proibido pela PM.

Uma mulher corre para dentro da casa e um agente invade o local até a gravação parar. Segundo reportagem do portal G1, ela pretende registrar o caso na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

A Justiça Militar decretou a prisão de quatro policiais flagrados nas imagens.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos