Casal de mulheres sofre homofobia e agressão em bar na Baixada Santista

Homofobia: casal recebe ofensas e é agredido por homem em São Vicente. Foto: GettyImages.
Homofobia: casal recebe ofensas e é agredido por homem em São Vicente. Foto: GettyImages.
  • Casal de mulheres sofreu homofobia em estabelecimento de São Vicente

  • Homem jogou banco de madeiras e acertou a cabeça de uma das jovens

  • Caso foi registrado na Polícia Civil

Um casal de mulheres estava em um bar, em São Vicente, na Baixada Santista (SP), quando foram abordadas por um homem que fazia ofensas homofóbicas. O suspeito chegou a atirar um banco de madeira contra elas, e atingiu uma das jovens na cabeça.

O caso aconteceu na última segunda-feira (20), durante a madrugada. O homem estava em um estabelecimento ao lado do bar e foi até o local para ofender o casal. As informações são do portal UOL.

“O estabelecimento onde esse homem estava fica ao lado de onde estávamos. Em certo momento, pedimos para usar o banheiro e o funcionário deixou a gente entrar, disse para ficarmos à vontade. Assim que saímos, continuamos conversando lá fora e o homem saiu e fez um comentário: ‘o bom é que compra uma e leva duas’, relatou a vítima, que preferiu não se identificar.

Em um primeiro momento, as jovens, de 22 e 25 anos, decidiram ignorar. Quando se beijaram de novo, o homem voltou a cometer agressões verbais.

“Ele falou que ia puxar a cinta, que éramos duas crianças, que a nossa geração era uma merda, que não deveria existir livre arbítrio, que a gente tinha lugar pra fazer isso, que existiam lugares LGBT, que a gente poderia ficar”, contou uma das vítimas.

Indignada, uma das jovens passou a retrucar. Ela conta que gravou parte da situação. “A gente não tinha feito nada demais. Teve um momento que não aguentamos mais e comecei a retrucar também, que foi quando eu comecei a gravar. Aí ele repetiu novamente a frase que deu início a tudo e jogou um banco. Eu acho que ele mirava nas duas, mas acabou acertando na minha namorada, que caiu no chão”.

Mesmo sendo agredidas, ninguém prestou ajuda, só uma mulher que pediu para que a polícia fosse acionada. Um boletim de ocorrência foi aberto.

A namorada recebeu atendimento médico. “Ficou um inchaço. O rosto ficou com hematomas e o braço dela era o que mais estava doendo. Ela tem dores pelo corpo todo”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos