Casal diz ter sido vítima de homofobia e racismo na saída de Shopping no Rio

Vítimas de agressão, homofobia e racismo: Moisés do Nascimento Lopes e Thiago Souza dos Santos relatam ocorrido — Foto: Reprodução/TV Globo
Vítimas de agressão, homofobia e racismo: Moisés do Nascimento Lopes e Thiago Souza dos Santos relatam ocorrido — Foto: Reprodução/TV Globo

Moisés do Nascimento Lopes, comunicador e influenciador e o marido, o coordenador de suprimentos Thiago Souza dos Santos dizem ter sofrido agressões físicas, além de ter sido vítima de racismo e homofobia, por um homem desconhecido, na saída do Nova América Shopping, em Del Castilho, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

O caso ocorreu na noite desta segunda-feira (10). Registro foi feito na 21ª DP (Bonsucesso) como injúria, preconceito e lesão corporal. O suspeito, identificado como Daniel Ciro Silva Rocha, foi detido por guardas municipais depois de uma briga.

Segundo Moisés, ele e o marido foram atacados por Daniel com insultos homofóbicos e racistas.

"Ele gritava, gritava e gritava: vocês são gays, vocês são veados, vocês têm que morrer, você é macaco", disse o comunicador.

Ainda de acordo com ele, a agressão não teve motivação.

"Nós não o conhecemos, nunca nos vimos. E se a gente estivesse com os nossos sobrinhos? A agressão foi gratuita", citou Moisés.

Ao entrar em luta corporal com o agressor para defender o marido, Moisés fraturou a mão direita. Ele será operado. Thiago teve ferimentos na mão e no peito. Uma equipe da Guarda Municipal conduziu as vítimas ao Hospital Estadual Getúlio Vargas.

“Meu esposo foi agredido tanto verbalmente, como fisicamente. O rapaz chegou dando uma cotovelada. Eu não pensei duas vezes em defendê-lo”, destacou o influenciador.

Thiago, esposo de Moisés, acrescentou que ao ser surpreendido com as agressões caiu no chão.

“No momento que ele bateu, eu acabei tentando proteger o rosto pra não tomar um soco no rosto. Na sequência, eu já caí no chão, meio atordoado”, disse o coordenador de suprimentos.

Além disso, Thiago contou ainda que, enquanto Moisés tentava conter Daniel, o agressor seguia os xingando.

No entanto, com a chegada da Polícia Militar e da Guarda Municipal, Daniel negou a situação e disse que não se lembrava de nada. Ele teve que ser contido pelas autoridades, inclusive com o uso de algemas.

Ele ainda alegou que teve um surto psicótico e que faz uso de medicação controlada.

Os três foram levados para a 44º DP (Inhaúma) e encaminhados ao Hospital Municipal Getúlio Vargas, na Penha. O homem se feriu batendo a cabeça na parede da delegacia. Moisés fraturou a mão e vai precisar de cirurgia. O marido teve ferimentos nas mãos e no peito.

A ocorrência foi registrada na 21ºDP (Bonsucesso). Na delegacia, Daniel contou que mora no Complexo do Alemão, é usuário de drogas e teve um surto.