Casal entra na Justiça para obrigar filho a sair de casa e vence

AP

Os pais de um homem de 30 anos resolveram apelar para que o filho saísse de casa: eles o processaram.

De acordo com eles, Michal Rotondo não ajudava com os custos da casa nem com tarefas domésticas e teria ignorado ajuda financeira dos pais para viver em outro lugar.

Segundo a BBC, Christina e Mark Rotondo disseram que Michael voltou a morar com eles há oito anos, após ficar desempregado. Atualmente, ele administra um site e se recusava a sair mesmo após receber várias cartas de despejo da família.

Michael argumentou que não havia recebido aviso prévio suficiente, alegando que um período de seis meses seria um período mais razoável para ele preparar sua mudança.

O casal entrou, então, com a ação na Suprema Corte do Condado de Onondaga.  O advogado dos pais disse ao site Syracuse.com que seus clientes não encontraram outra forma de obrigar o filho a se mudar.

Em uma das mensagens enviadas antes de entrarem com o processo, o casal ofereceu R$ 1,1 mil (cerca de R$ 4 mil) para que ele saísse de casa. “Há empregos disponíveis para aqueles com um histórico profissional ruim como o seu. Consiga um – você precisa trabalhar”, disseram.

Em abril, após algumas tentativas, os Rotondo desistiram de tentar sozinhos e recorreram à Justiça. Como Michael era seu parente, eles ouviram que teriam de recorrer à Suprema Corte para conseguir retirá-lo de casa.

De acordo com a emissora WABC News, Michael considerou a ação movida por seus pais como uma “retaliação” e pediu que a Corte rejeitasse seu pedido, mas o caso foi julgado e o casal saiu vitorioso. Michael disse que a decisão é “revoltante” e entrará com recurso.