Casal de youtubers denuncia ofensas racistas por causa da cor da pele de sua filha

Diego Amorim
·2 minuto de leitura
Foto: Reprodução/Instagram

Com poucos dias de vida, a pequena Esperança tornou-se mais uma das tantas vítimas do preconceito. A bebê, hoje com pouco menos de um mês, é filha dos youtubers Filipe Maia e Gabi Smith, moradores de Duque de Caxias. No último dia 28, uma publicação no perfil de Filipe nas redes sociais recebeu comentários com injúria racial e até questionamentos sobre a paternidade da criança, por causa da cor da pele da menina.

— Quando compartilhamos esse momento especial, as pessoas começaram a falar da cor. Ela é apenas uma criança. Estamos sempre tentando divertir nossos seguidores, não imaginei que fosse acontecer isso. Foi algo atípico para mim— desabafa Filipe.

A imagem postada na internet no fim de novembro, dez dias depois do nascimento da bebê, recebeu diversos comentários como “Vocês são negros, e ela é branca?”, “Iiiiih, só eu notei algo errado?”, “Calma, minha gente, ainda está cru. Depois fica no ponto certo”, e “Espera cozinhar, galera”, em referência à pequena Esperança, que completou 1 mês de vida anteontem.

— Foram várias frases de racismo e de duplo sentindo, inclusive insinuando que ela não era a minha filha.

Gabi, que ainda está de resguardo, também indaga:

— Eu queria entender esse questionamento de cor. Por que dão tanta importância para isso? — lamenta a mãe.

Filipe registrou ocorrência online e espera que medidas sejam tomadas, para que outras pessoas não sofram.

— Esse tipo de comentário é intolerável. Acho que eu devo me posicionar sobre essa questão para que todos vejam que o racismo estrutural atinge os negros desde a infância — desabafa o rapaz.

No Instagram, o casal soma cerca de 630 mil seguidores. Já no YouTube, o canal Filipe & Gabi tem mais de 1 milhão de inscritos. Por conta do episódio, eles acreditam que houve um afastamento de empresas que fariam parcerias publicitárias futuras.

— Nós dois estávamos com tudo certo pra começar a fazer um trabalho de divulgação para uma marca. Fizemos a primeira parte, e logo depois dos comentários nas fotos eles sumiram. A gente vê que não é só psicológico, tem um dano material, que acaba sendo irreversível — relata.

Por meio de nota, a Polícia Civil disse ontem que o pré-registro foi feito e que a equipe da 59ª DP (Duque de Caxias) “aguarda o comparecimento da vítima para seguir com a investigação”, a partir de imagens e de documentos que comprovem a denúncia.

Parto humanizado

Aos 21 anos, os dois são pais de primeira viagem e optaram pelo parto humanizado em uma maternidade pública do Rio. Na ocasião do nascimento de Esperança, eles divulgaram nas redes sociais que escolheram a Maternidade Maria Amélia Buarque de Hollanda, no Centro da capital fluminense, referência em partos humanizados.

O casal publicou um vídeo no YouTube mostrando o dia do nascimento da menina. Foram mais de 730 mil visualizações e 10 mil comentários destacando a coragem de Gabi e a participação de Filipe.