Casamentos gays no Brasil disparam em 2018

Johanns Eller

RIO — O número de casamentos homoafetivos no Brasil cresceu 61,7% no Brasil no ano passado em relação a 2017, segundo as Estatísticas do Registro Civil de 2018, divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na manhã desta quarta-feira. Foram, ao todo, 9.520 matrimônios entre pessoas do mesmo sexo, com prevalência de casais de mulheres — que somaram 58,4% dos casos. Por outro lado, na média nacional, os casamentos, majoritamente heterossexuais, caíram 1,6% no mesmo período.

Em comparação, houve 5.887 casamentos homoafetivos em 2017. Se observados os números mensais, levantamento aponta para um grande pico nos últimos meses do ano, o que é interpretado por especialistas como um temor por eventuais retrocessos do presidente Jair Bolsonaro, que, enquanto deputado federal, alimentou diversas falas homofóbicas e se opôs à decisão do Conselho Nacional de Justiça, em 2013, a favor do casamento homossexual.

Entre janeiro e outubro, mês em que Bolsonaro se elegeu para o comando do Palácio do Planalto, o número mensal de casamentos entre dois homens variou entre 195 e 268. Em novembro, com o resultado eleitoral definido, houve 408 registros e, em dezembro, último mês da gestão de Michel Temer, o número saltou para 1.495.

Entre casais de mulheres, no mesmo período, as estatísticas flutuaram entre 245 e 406. Em novembro, houve 549 casamentos e, em dezembro, as estatísticas mais do que triplicaram: foram 1.906. As estatísticas, obtidos juntos aos Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais, não incluem modalidades como união estável.