Casas das principais lideranças do Congresso dos EUA são vandalizadas

·1 minuto de leitura
Líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, em entrevista coletiva no Congresso americano, em Washington, em 15 de dezembro de 2020

A residência do líder da maioria no Senado dos Estados Unidos, o republicano Mitch McConnell, e a da presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, foram vandalizadas - informa a imprensa norte-americana.

Uma cabeça de porco e sangue falso foram encontrados do lado de fora da casa de Pelosi em San Francisco, em 2 de janeiro, noticiaram ontem jornais locais.

A inscrição "$2K" (US$ 2.000) riscada também pichada na porta de sua garagem, seguida das frases "Cancelem os aluguéis" e "Queremos tudo".

A polícia local está encarregada da investigação, de acordo com a emissora a NBC News.

As inscrições "Onde está meu dinheiro" e "Mitch mata os pobres" foram pichadas na porta principal e na janela da casa de McConnell, em Louisville, Kentucky.

McConnell chamou o grafite de "birra radical".

"O vandalismo e a política do medo não têm lugar em nossa sociedade", acrescentou.

Esses atos de vandalismo ocorrem após um intenso debate sobre um plano de ajuda econômica de cerca de US$ 900 bilhões para enfrentar os efeitos devastadores da pandemia da covid-19 nos empregos.

O plano foi aprovado pelos congressistas e, depois,ratificado pelo presidente Donald Trump no final de dezembro, após vários dias de resistência.

Os congressistas republicanos bloquearam uma proposta dos democratas para mais do que triplicar o montante dos cheques destinados aos americanos mais vulneráveis no âmbito desse plano, de US$ 600 para US$ 2.000 - um aumento que foi, no entanto, apoiado por Trump.

"O Senado não vai ser intimidado para fazer mais empréstimos precipitadamente, que irão para as mãos de amigos ricos dos democratas que não precisam dessa ajuda", disse McConnell à imprensa na última quarta-feira (30).

bur-rbu/slb/lb/rsr/pc/tt