Caso Bruno e Dom: suspeitos serão transferidos para Manaus

Amarildo já foi levado para Manaus na manhã deste sábado (9), onde ficará preso.
Amarildo da Costa de Oliveira já foi levado para Manaus na manhã deste sábado (9), onde ficará preso. (Foto: Reprodução)

A Polícia Federal no Amazonas (PF-AM) informou, na manhã deste sábado (9), que vai transferir os suspeitos envolvidos nos assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips para Manaus. Junto com eles, também será levado Rubens Villar Coelho, conhecido como "Colômbia", suspeito de comandar uma quadrilha de pesca ilegal em áreas indígenas no Vale do Javari, no Amazonas.

De acordo com o G1, Amarildo da Costa de Oliveira, 41, conhecido como "Pelado", já deixou Atalaia do Norte, cidade onde Bruno e Dom foram assassinados, na manhã deste sábado.

Jeferson da Silva Lima, o "Pelado da Dinha", e Oseney da Costa de Oliveira, 41, o "Dos Santos", irmão de Amarildo, seguem detidos na delegacia da cidade.

Já "Colômbia" está custodiado em Tabatinga, cidade vizinha a Atalaia do Norte, desde quinta-feira (7), por se apresentar com documento falso. Em depoimento à PF, ele negou ser o mandante das mortes de Bruno e Dom e qualquer envolvimento no crime.

A Justiça Federal já decretou a prisão preventiva dos quatro - Amarildo, Jeferson, Oseney e "Colômbia", na sexta-feira (8). Assim, eles vão responder aos processos presos.

Prisão de "Colômbia"

De acordo com informações obtidas com exclusividade pela Rede Amazônica, "Colômbia" esteve na unidade da PF em Tabatinga, para afirmar que não teria envolvimento com as mortes do indigenista brasileiro e do jornalista inglês.

Ele se apresentou com documentos falsos, que foram identificados pela PF. Rubens Villar é peruano, mas apresentou um documento do Brasil e outro da Colômbia. Ele passou por audiência de custódia na Justiça Federal, em Tabatinga, quando a prisão preventiva foi decretada.

Desde o início das investigações, os moradores do Vale do Javari relataram à imprensa que "Colômbia" tinha relação com a pesca ilegal na região. Embora o motivo do crime ainda não tenha sido revelada, há suspeita de que Bruno e Dom foram assassinados porque o indigenista combatia a pesca ilegal na região do Vale do Javari.

Amarildo, a família dele e Jeferson exerciam a pesca em Atalaia do Norte. Agora, a PF investiga se "Colômbia" empregava Amarildo, Oseney e Jeferson e qual a relação do estrangeiro com a pesca na região.À PF, Colômbia alegou que apenas mantém relação comercial com os pescadores da região.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos