Caso Djokovic: Juiz nega adiamento de audiência sobre deportação após apelo de governo australiano

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

MELBOURNE - Um apelo do governo australiano para atrasar o recurso do tenista sérvio Novak Djokovic contra a deportação foi rejeitado por um juiz que supervisionava seu caso.

O governo solicitou que a audiência da estrela do tênis fosse adiada para quarta-feira, mas a data prevista inicialmente foi mantida, e ela começará na manhã desta segunda-feira.

Djokovic teve sua entrada negada na Austrália após pousar em Melbourne na semana passada para defender seu título no Aberto da Austrália. O tenista foi barrado no aeroporto local após não comprovar que estava vacinado contra Covid-19.

O número um do mundo, que disse mais de uma vez ser contra a vacinação, está em um centro de detenção de imigrantes. Advogados do atleta ingressaram com um recurso para tentar reverter a iminente deportação e validar seu visto de entrada na Austrália.

A defesa de Djokovic apresentou neste sábado um documento de 35 páginas argumentando que o tenista testou positivo para Covid-19 em dezembro e, portanto, estaria apto a conseguir autorização para disputar o torneio. O governo da Austrália alega, no entanto, que uma infecção recente oferece exceção apenas para residentes.

A infecção do sérvio não foi comunicada previamente. Fotos de Djokovic, sem máscara, supostamente participando de eventos em Belgrado, capital da Sérvia, na época em que testou positivo foram compartilhadas nas redes sociais.

Djokovic recebeu uma isenção médica para jogar o Aberto da Austrália, em uma decisão que provocou indignação no país, que vive sob algumas das medidas mais rígidas do mundo na tentativa de conter a nova onda da pandemia, impulsionada pela nova variante Ômicron.

Após o episódio envolvendo o sérvio, a tenista tcheca Renata Voracova, de 38 anos, também teve o visto cancelado na Austrália. A atleta teria entrado no país no mês passado com a mesma insenção de vacina contra a Covid-19 concedida a Djokovic, que também teve o passe revogado nesta semana. Ela resolveu deixar o país neste sábado depois de ser detida.

A ida de Djokovic ao Australian Open era uma especulação, até o tenista confirmar presença no Grand Slam nesta semana, quando anunciou que conseguiu uma isenção da obrigatoriedade do comprovante de vacinação. Já no avião, soube de um problema referente ao visto, pois não teria preenchido o formulário correto para o tipo de passe solicitado. Apesar de o atleta não revelar se recebeu a vacina, ele e a família já deram declarações de que recusariam as doses.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos