Caso Flordelis: 'Só aconteceu porque ela permitiu que acontecesse', diz filha adotiva da pastora sobre morte

O julgamento da pastora Flordelis dos Santos de Souza chega ao quarto dia, após ouvir 10 das 29 testemunhas esperadas. Nesta quinta-feira, o depoimento de Roberta dos Santos, filha adotiva da ex-deputada, foi o primeiro a ser tomado. Assim como outros membros da família, ela afirmou que tudo que acontecia na casa onde o pastor Anderson do Carmo morreu tinha a permissão de Flordelis. A pastora deixou o plenário pouco antes do depoimento, iniciado às 9h30. Roberta chorou muito durante sua fala.

'Ele morreu!', gritaram membros da família comemorando na noite do assassinato do pastor Anderson

Caso Flordelis: pastor morto entrou como filho da ex-deputada na casa da família, dizem testemunhas

— Com certeza — respondeu Roberta ao ser perguntada se Flordelis mandou matar Anderson. — Só aconteceu (a morte) porque ela (Flordelis) permitiu que acontecesse — disse Roberta.

A filha adotiva ainda contou que soube da morte por telefone, após o marido receber uma ligação por volta das 6h, horas depois do crime, e que, ao chegar na casa, a pastora estava com cara de "alívio".

— Foi ela, foi ela, foi ela, tenho certeza que foi ela, Flordelis — contou Roberta ao lembrar dos acontecimentos. — Quando você olha, a pessoa está leve. Fisionomia de completo alívio.

Morte de pastor: veja os principais pontos do depoimento de cada testemunha nos primeiros dias do julgamento

Roberta não foi ao enterro de Anderson. Ao contar o que aconteceu no velório, ela começou a chorar. Ela disse que Rayane dos Santos, neta de Flordelis que também está no banco dos réus, choraram juntas na ocasião. Um mês depois do crime, Erica dos Santos de Souza, filha adotiva de Anderson e da pastora e que também é esperada para depor nesta quinta-feira, contou que Rayane a procurou antes do crime querendo uma indicação de um "bandido bom".

— Ela disse: ‘Eu acho que eu sei o que aconteceu. A Rayane me procurou e me pediu indicação de um bandido bom, mas eu não dei, até porque eu nem conhecia’. Aí aconteceu o assassinato do Niel, e ela deduziu que tinha sido para isso — disse Roberta.

Desavenças em casa: ‘A desigualdade apareceu na nossa família quando o dinheiro entrou’, relata filha afetiva de Flordelis

Além de Flordelis, estão no banco dos réus neste julgamento os filhos Simone dos Santos Rodrigues, André Luiz Oliveira e Marzy Teixeira, e a neta Rayane.

Julgamento: Nora da pastora diz que Anderson descobriu plano para envenená-lo em cena digna dos 'Trapalhões'

O depoimento de Roberta durou 1h40min. Durante a fala dela, houve o questionamento pela acusação se ela sabia algum episódio de abuso sexual cometido por Anderson. A filha adotiva negou. Ela contou que o pastor restringia determinados comportamentos em casa, como uso de roupas curtas e de biquíni.

— Ele não permitia que a gente andasse de biquíni na casa porque tinha muito homem, ão permitia nadar de short curto. Niel não é um abusador — afirmou Roberta.

Caso Flordelis: filho afetivo diz que choro de ex-deputada em enterro do marido assassinado 'não foi verdadeiro'

O julgamento seguiu com o depoimento de Rebeca Vitória Rangel Silva, neta de Flrodelis e Anderson, que durou cerca de 25 minutos. A adolescente, filha adotiva de Carlos Ubiraci e Cristiana Rangel, estava na casa na madrugada do crime, mas relatou que estava dormindo quando Anderson foi baleado. Rebecca chamou Flordelis de manipuladora.

— Ela (Flordelis) vai te usar, você vai ser preso e ela vai fazer tudo para que ela não seja presa. Foi o que aconteceu, mas ela acabou presa.

Rebecca é filha biológica de Michele, irmã biológica de Anderson do Carmo, mas foi adotada por Carlos e Cristiana quando ainda era bebê.

'Flordelis: questiona ou adora': série documental analisa todos os ângulos do assassinato do pastor Anderson